Menu
TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com

ECONOMIA

O que aconteceu com a nova classe média: economista faz diagnóstico do antes e depois da crise econômica

economista marcelo neri‘A nova classe média está ferida, mas não morta’. Com essa frase, o economista Marcelo Neri, diretor do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV), começou a entrevista em que fez um diagnóstico do que aconteceu com a parcela da população brasileira que ascendeu da classe D/E para a C, entre os anos de 2003 e 2014. Ele também explicou o que vem acontecendo com essa parcela da sociedade desde 2015, quando a crise econômica começou a derrubar uma a uma de suas principais conquistas, como um efeito-dominó. O pai da expressão “nova classe média” é realista: acredita que estamos tão próximos do fundo do poço a ponto de já conseguirmos avistá-lo. Por outro lado, Neri destaca a resiliência, ou seja, a incrível capacidade desses brasileiros de lidar com as dificuldades e superá-las. Mas não arrisca dizer quando a atual crise ficará para trás.

Muitas famílias perderam ou estão perdendo algumas das conquistas da nova classe média, como educação privada, plano de saúde, casa própria etc. Esse quadro de perdas pode ser totalmente atribuído ao desemprego?

O desemprego, talvez, esteja um pouco superdimensionado. Se eu avaliar as causas da queda de renda, até junho de 2016, que é, basicamente, a queda (o ápice dela), 74% são efeito da inflação, e 26% são efeito do desemprego. Obviamente, o desemprego alto diminuiu o poder de barganha. Os trabalhadores passaram a ter perda real porque, com o desemprego alto, não conseguem negociar (reajustes salariais com os patrões). Agora, em agosto, está meio a meio: metade desemprego e metade inflação. A notícia “boa” é que está piorando menos. Então, eu acho que, talvez, já estejamos começando a ver o fundo do poço.

Mas, pelo que você diz no seu livro (“A nova classe média — O lado brilhante da base da pirâmide”, Editora Saraiva), o principal símbolo da nova classe média foi a carteira de trabalho, certo?

Crise e falta de perspectiva levam os brasileiros a tentar a vida em outro país

tchau brasilNos últimos meses há um movimento incomum nos aeroportos brasileiros, cada vez mais brasileiros embarcam sem data para voltar. Resultado da crise financeira, política e moral que o Brasil tem passado, mas principalmente pela falta de perspectiva no futuro; fato é que o êxodo de brasileiros para outros países é cada vez maior.

O que vemos hoje só tem precedente na história quando os moradores de Governador Valadares partiram em massa para os Estados Unidos, isso lá pelos anos 70.

Independente do resultado do impeachment na próxima semana o sentimento do povo brasileiro é de que levaremos anos para recuperar os estragos que a incompetência dos políticos e a corrupção gerenalizada causou na segurança pública, saúde, educação e principalmente na economia.

Alguns anos atrás quem procurava trabalho no exterior eram operários da construção civil, empregadas domésticas ou garçons para bares e restaurantes, mas hoje o perfil do brasileiro que quer estabelecer no exterior mudou; são engenheiros, dentistas, advogados, médicos e principalmente aposentados que buscam qualidade de vida e estabilidade para a família.

Segundo o diretor da Zeos Travelling agência de viagens nunca tantos divinopolitanos procuraram por passagens aéreas, vistos e acompanhamento para imigrar em outros países. Com a abertura da loja da Zeos Travelling em Portugal muitos brasileiros têm procurado a agência em busca de informações sobre como morar em Lisboa ou em outras cidades portuguesas. Ainda segundo o diretor da empresa a orienteção que sua equipe têm passado é para que as pessoas comprem um pacote para Lisboa (hoje em torno de R$ 2700,00 por pessoa com passagem aérea e cinco noites em hotel) para conhecer um pouco mais sobre o país e assim não se arrepender futuramente por uma mudança radical e sem o devido planejamento.

A filial da Zeos Travelling em Portugal auxilia os brasileiros que desejam se mudar para lá, inclusive orientando quanto a documentação, emprego e moradia. Quem tem interesse pode entrar em contato com uma das lojas da Zeos Travelling aqui em Divinópolis (clique aqui e veja os endereços).

PORTUGAL É MAIS FÁCIL QUE OUTROS PAÍSES

CVC amanhece com 21 lojas fechadas

  • Escrito por Panrotas
  • Categoria: ECONOMIA
  • Acessos: 972

cvc divinopolis fechadaA CVC passou a ter a partir de hoje, no Rio de Janeiro, uma nova administração, liderada pelo diretor regional de Vendas e Expansão para o Estado do Rio de Janeiro, Adriano Gomes. A mudança, no entanto, fez com que a operadora rompesse o contrato assinado em 2012 de master franqueado com a CRG Viagens, de Cláudia Bustamante.

Como as partes não chegaram a um acordo, 21 das 70 lojas da empresa no Estado do Rio (todas pertencentes ao grupo CRG Viagens) amanheceram fechadas e devem continuar assim nos próximos dias até que haja um acordo. Entre as lojas que não abriram estão algumas das mais importantes, localizadas em shoppings centers do Rio e Grande Rio.

Em entrevista para o Portal PANROTAS, Cláudia Bustamante lamenta a situação e diz que vem desde fevereiro tentando um acordo. “Até 2012 tínhamos uma relação ótima com a CVC, com contratos definidos diretamente com Guilherme Paulus, mas desde a entrada da Carlyle tivemos que mudar nossos contratos.

Naquele ano assinamos um acordo de dez anos, vigente até 2022, mas eles romperam em fevereiro e nos deram até agosto. O tempo dado terminou ontem (7) e não chegamos numa definição, logo não abrimos nossas lojas, afinal não podemos operar com a marca CVC sem um contrato assinado”, disse Cláudia Bustamante.

Mudança nas regras de inspeção nos aeroporto muda a rotina dos passageiros

  • Escrito por G1
  • Categoria: ECONOMIA
  • Acessos: 940

mala raio x aeroportoA Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou que os procedimentos de inspeção dos passageiros e de bagagens em aeroportos serão intensificados a partir desta segunda-feira (18). As medidas, que já existiam, serão aplicadas de forma mais rigorosa.

Considerando que a inspeção mais intensa vai aumentar o tempo para chegar às salas de embarque, as companhias aéreas orientam que os passageiros passem a se apresentar para o check in com uma antecedência de pelo menos 1h30 antes do horário de partida do voo.

Segundo a Anac a medida, que começará dias antes da Olimpíada, não tem ligação com os jogos ou com outro fator externo. A agência reguladora informou, ainda, que no exterior são adotadas medidas semelhantes de segurança.

A mudança, que vale para voos nacionais e internacionais em todos os aeroportos brasileiros, não tem prazo para acabar.

Confira os procedimentos que devem ser intensificados, segundo a Anac:

Professora comete suicídio após ficar sem salário e irmã desabafa: “o estado a matou”

  • Escrito por Ilisp
  • Categoria: ECONOMIA
  • Acessos: 1473

professora jucelia almeidaUma das classes mais prejudicadas pelo estado – e infelizmente uma das que mais pede mais estado – é a classe de professores. Com exceção dos professores universitários estatais com salários acima de 10 mil reais, a ampla maioria dos professores brasileiros trabalham para o estado ganhando baixos salários, têm que trabalhar em escolas com precárias condições de ensino e sofrem todo tipo de pressão de diretores e demais burocratas da educação. A solução para este problema é haver mais participação privada no setor – com o fim do controle estatal sobre as escolas privadas e a isenção de todos os impostos pagos pelas mesmas – para que mais pessoas tenham acesso à educação privada e realmente de qualidade, aumentando a concorrência no setor e elevando os salários e condições de ensino dos professores no médio / longo prazo. Quando uma instituição detém praticamente um monopólio de um setor – com o estado detém o monopólio da educação fundamental e média no Brasil, e ainda regula fortemente as poucas escolas privadas que tentam competir – a preocupação com a qualidade do serviço prestado e com os profissionais que prestam o serviço é sempre nula.

publicidade

Um exemplo de como o estado deveria ser considerado o maior inimigo dos professores aconteceu em Aracaju, Sergipe. A professora Jucélia Almeida, de 45 anos, lecionava na rede estadual e foi encontrada morta em seu apartamento no último domingo (03). Antes de tirar a própria vida, ela deixou uma carta relatando os problemas que enfrentou durante um ano. Após três meses sem receber salário, a professora chegou a desenvolver diversos problemas de saúde.

Em entrevista para a mídia local, a irmã de Jucélia afirma que ela morreu por causa do estado: “Desde o mês de março minha irmã estava de licença médica, com laudo da perícia; ela estava debilitada e foi cuidar da saúde. Sofria com frequência assédio moral por parte da diretora da escola em que trabalhava”, relatou Gilzete, irmã de Jucélia. “Quando a minha irmã tentou receber o salário do mês de março, o dinheiro estava bloqueado. Ela procurou ajuda em várias entidades, mas ninguém a ouviu. O estado matou a minha irmã.”, completou Gilzete.

Azul acaba com voos da Pampulha por inviabilidade econômica

  • Escrito por O Tempo
  • Categoria: ECONOMIA
  • Acessos: 1068

aviao da azulA crise econômica, pela qual passa o Brasil, desde o ano passado, faz com que a Azul Linhas Aéreas Brasileiras reavalie a demanda por voos e encerre a suas atividade no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte. A operação terá fim em 4 de abril de 2016.

Os clientes que tenham adquirido passagens aéreas após esta data serão reacomodados em outros voos da companhia ou ressarcidos de forma integral, segundo a assessoria de imprensa da companhia.

No terminal da Pampulha, a Azul conta, atualmente, com dois voos para São Paulo (Campinas) e dois para o Rio de Janeiro (Santos Dumont), todos diários.

Em Minas Gerais, a Azul opera Belo Horizonte (Confins) - 40 destinos em cerca de 80 voos diários, Montes Claros, Governador Valadares, Uberlândia, Araxá, Juiz de Fora, Ipatinga, Patos de Minas, Divinópolis, Uberaba e estreará operações em Varginha em março deste ano.

publicidade
Seguro Viagem 300x250

Os colaboradores que atuam na base terão a opção de realocação para outras cidades servidas pela Azul. A companhia destaca, ainda, que as operações de manutenção no hangar da empresa localizado no Aeroporto da Pampulha continuarão normalmente.

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS