Menu

TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com

Cruzeiro perde para São Paulo que deixa o Z4

  • Escrito por Super Esportes

cruzeiro e sao paulo pelo campeonato brasileiroO atacante Sassá tinha tudo para ir do inferno ao céu. No primeiro tempo, desperdiçou uma cobrança de pênalti e viu o Cruzeiro sair em desvantagem diante do São Paulo. Na etapa final, recuperou-se com dois gols que garantiram a virada parcial. Só que o Tricolor, empurrado por sua torcida, passou novamente à frente. Marcou com o zagueiro Arboleda e o armador Hernanes – responsável pelo primeiro tento do clube paulista – e ganhou por 3 a 2 o confronto válido pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, na manhã deste domingo, no Morumbi.

Com o resultado, o Cruzeiro continua sem embalar no Brasileiro, a exemplo do que ocorreu no turno. Sétimo colocado, com 27 pontos, o time pode perder até quatro posições dependendo da combinação de resultados do encerramento da rodada. O São Paulo, por sua vez, respira na Série A, pulando para o 16º lugar, com 22 pontos. A equipe de Dorival Júnior agora torce para que o rival Corinthians ganhe da Chapecoense na Arena Condá, em Chapecó. Essa partida ocorrerá apenas no dia 23 de agosto, às 19h30.

O Cruzeiro agora se concentra exclusivamente na Copa do Brasil. Na quarta-feira, às 21h45, o time estará em Porto Alegre para enfrentar o Grêmio pelo jogo de ida das semifinais. O confronto de volta acontecerá uma semana depois, no mesmo horário, no Mineirão. No intervalo desses duelos haverá o encontro com o Sport, domingo que vem, às 16h, em Belo Horizonte, pela 21ª rodada do Brasileiro.

PÊNALTI PERDIDO E GOL NOS ACRÉSCIMOS

Promoção de viagemCom escalação alternativa, o Cruzeiro se comportou bem no Morumbi. Defensivamente, mostrou segurança com a dupla de zaga formada por Leo e o estreante Digão. Na parte ofensiva deixou um pouco a desejar, já que não chutou tantas vezes ao gol de Renan Ribeiro na etapa inicial. Ainda assim teve a melhor oportunidade, aos 12min. Sassá recebeu passe em profundidade de Rafael Sobis e foi derrubado na grande área pelo goleiro Renan Ribeiro. Pênalti. O próprio atacante se encarregou da cobrança. Fez cera, demorou a correr para a bola e, quando resolveu bater, acertou a trave direita. O camisa 99 cruzeirense ainda funcionou como “zagueiro” do São Paulo aos 32min, pois desviou a finalização de Robinho que ia em direção à meta.

Como se não bastasse a falta de capricho no ataque, a Raposa foi castigada em uma das poucas falhas que cometeu na primeira parte. Depois de erro de passe de Nonoca, o lateral-direito Ezequiel cometeu falta no meia Marcos Guilherme. Hernanes, que até então não havia tocado direito na bola, foi o responsável por mandar a redonda no ângulo direito de Rafael, aos 46min. Para a alegria da multidão tricolor no Morumbi, o São Paulo fazia 1 a 0 e deixava momentaneamente a zona de rebaixamento do Brasileiro.

DUAS VIRADAS EM JOGO MOVIMENTADO

No intervalo da partida, Sassá concedeu entrevista ao canal Premiere e falou sobre o pênalti perdido. Nas palavras do jogador, a promessa de que daria a volta por cima depois do intervalo. “Minha característica é para tentar deslocar o goleiro, mas infelizmente a bola não saiu do jeito que eu queria. Quem me acompanha, sabe que eu trabalho bastante durante a semana. Isso não influencia em nada em mim, ainda tem o segundo tempo pela frente”.

Os equívocos do primeiro tempo mexeram com o brio de Sassá. Para a etapa complementar, ele se transformou. Aos 5min, ficou atento à disputa de bola entre Digão e Arboleda e virou um belo voleio para empatar: 1 a 1. Aos 11min, desarmou Rodrigo Caio, zagueiro da Seleção Brasileira, e concluiu na saída de Renan Ribeiro: 2 a 1. O placar poderia ser ampliado aos 24min. Robinho, por duas vezes, assustou o São Paulo. Na primeira, chutou colocado de fora da área e obrigou o goleiro a espalmar. Na segunda, limpou Rodrigo Caio e poderia até rolar a redonda para Alisson, mas arrematou prensado em Ribeiro.

A resposta do São Paulo foi imediata. Em escanteio cobrado por Hernanes, o equatoriano Arboleda subiu mais que Hudson e deixou tudo igual, aos 25min: 2 a 2. Dez minutos depois, veio a virada são-paulina. Gilberto tabelou com Lucas Pratto e trombou com Ezequiel. O árbitro Rafael Traci marcou pênalti e gerou grande revolta por parte dos cruzeirenses. Hernanes bateu no canto esquerdo, Rafael pulou para o direito, e o São Paulo fez 3 a 2. O técnico Mano Menezes até tentou gás novo ao colocar Thiago Neves e Rafinha, mas o Cruzeiro não conseguiu a reação. Nos acréscimos, o zagueiro Digão ainda levou cartão vermelho ao "matar" dois contra-ataques consecutivos do adversário.

Atlético supera Flamengo, volta a vencer em casa e reage no Campeonato Brasileiro

  • Escrito por Super Esportes

atletico e flamengo no hortoDepois de mais de 40 dias, o Atlético voltou a vencer em casa pelo Campeonato Brasileiro. Recém-eliminado pelo Jorge Wilstermann na Copa Libertadores, o Galo buscou a reação diante do Flamengo, neste domingo, no Independência, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, e conquistou a vitória por 2 a 0. Fábio Santos, em cobrança de pênalti, e Rafael Moura marcaram os gols do triunfo que alivia a pressão no elenco atleticano.

Com o resultado, o Alvinegro quebra sequência de quatro derrotas em casa - Santos, Bahia, Vasco e Corinthians. Como mandante, a última foi no clássico contra o Cruzeiro, em 2 de julho, por 2 a 1, no Horto, pela 11ª rodada da Série A. A vitória na abertura do returno do Brasileirão faz o Atlético subir da 15ª para a nona colocação, com 26 pontos. O time carioca aparece três lugares acima na tabela, com 29 pontos.

Atlético só entra em campo novamente daqui a oito dias. O time de Rogério Micale enfrenta o Fluminense, na segunda-feira que vem, às 20h, no Rio de Janeiro. Já o Flamengo recebe o Atlético-GO, no próximo sábado, no Estádio Luso-Brasileiro. Antes, o Urubu encara o Botafogo pela semifinal da Copa do Brasil, nesta quarta.

VANTAGEM ALVINEGRA NO HORTO

Banner 300x300O primeiro tempo no Independência começou bastante agitado. O Atlético se mandou ao ataque e logo arriscou de fora da área, com Elias. O Flamengo respondeu com Berrío, em finalização de primeira. Victor, em dois tempos, fez a defesa. O Galo manteve o ímpeto ofensivo, mas cedeu espaço para rápidas jogadas do time rubro-negro, especialmente com o jovem Felipe Lizeu. Aos 15 minutos, O Alvinegro abriu o placar no Horto. Luan, na grande área, recebeu lançamento de Adílson e acabou derrubado Miguel Trauco: pênalti. Na cobrança, Fábio Santos deslocou o ex-atleticano Diego Alves, exímio pegador de pênaltis, e mandou no cantinho esquerdo: 1 a 0.

As equipes seguiram apostando em jogadas em velocidade e arriscaram poucos cruzamentos. Aos 17 minutos, o Atlético teve chance para ampliar a vantagem. Luan avançou pela ponta direita e cruzou. Rhodolfo tentou o corte, e a bola sobrou para Elias, que mandou de primeira, mas à esquerda do gol, com muito perigo. Seguro na defesa, o Galo perdeu o zagueiro Gabriel, lesionado, aos 32 minutos.Rogério Micale escolheu Felipe Santana.

Com toques rápidos na intermediária, o Atlético levou perigo novamente à meta adversária, aos 37 minutos. Elias e Luan tabelaram, Fábio Santos recebeu, foi à ponta esquerda e cruzou para Adílson, na área. A conclusão do volante, porém, passou por cima do gol. Luan e Elias também arriscaram chutes de fora da área, mas sem êxito. Com os três meias – Everton Ribeiro, Berrío e Geuvânio –, o Flamengo aumentou o ritmo nos minutos finais da etapa e passou a cruzar bolas para a grande área. A zaga mineira se manteve firme e neutralizou as investidas rubro-negra.

Flamengo ou Atlético-MG? Ronaldinho revela qual foi seu melhor time para baladas

  • Escrito por ESPN

Ronaldinho GauchoEntre uma pelada e outra, Ronaldinho Gaúcho agora precisa arrumar tempo para cumprir também com suas obrigações de embaixador internacional do Barcelona. E o lançamento de uma nova linha do clube catalão fez o ex-jogador ir até um shopping na Zona Oeste de São Paulo na noite dessa quinta-feira. O melhor momento da noite, porém, não teve nada a ver com o clube espanhol.

Quando o mestre de cerimônia do evento liberou uma única questão ao público, o assunto desviou para a descontração. Ronaldinho, então, entrou no clima e revelou qual time em que atuou foi melhor à noite, fora de campo: Flamengo de 2011 ou Atlético-MG de 2013. Sem titubear, o ex-camisa 10 foi enfático no microfone. “Flamengo, disparado”.

As gargalhadas causadas com a resposta de Ronaldinho ofuscaram até mesmo a voz do mestre de cerimônia, que também não segurou o riso, mas logo retomou ao tema com uma sabatina focada na passagem pelo Barça.

Com o famoso sorriso dentuço no rosto praticamente o tempo todo, também não fugiu do assunto Neymar. Ciente da fúria de boa parte da torcida espanhola por causa da transferência de Neymar ao Paris Saint-Germain, Ronaldinho fez questão de exaltar a passagem de seu “sucessor” pelo Camp Nou.

“Esse é piii”, disse, evitando usar um palavrão.

“Ele é mais um dos nossos que passou por lá e deixou a porta aberta para outro brasileiro chegar. Esse é o maior orgulho que a gente pode ter. Antes de mim passaram Ronaldo, Rivaldo, Romário, o senhor Evaristo… E o maior orgulho que a gente pode lembrar é que a gente passou e deixou a porta aberta para outro brasileiro vir. O Neymar deu seguimento a tudo isso, deixou a porta aberta, fez a dele bem feita e é o nosso maior ídolo hoje”, argumentou o ídolo das duas equipes europeias envolvidas na negociação.

300x250 Menino AviadorQuestionado sobre sua importância para o início da trajetória de Messi, o brasileiro foi comedido. “O cara desde novo já se destacava, Quando eu cheguei no Barcelona todo mundo já comentava dos destaque que ele tinha. A única coisa que eu, o Deco, fizemos foi dar uma ajudinha”, comentou, antes de brincar com o argentino. “Mas, buscou muito café para mim”.

Outro que não escapou nem da habilidade com os pés nem da língua afiada de Ronaldinho foi o ex-zagueiro Paolo Maldini, eleito pelo duas vezes melhor do mundo como o melhor zagueiro que já enfrentou. “Maldini merece todo respeito”, disse, para em seguida ser lembrado do chapéu que aplicou no italiano. “Não escapou também, não”, completou Ronaldinho.

Flamengo ou Atlético-MG: qual foi o melhor time para baladas? Entre uma pelada e outra, Ronaldinho Gaúcho agora precisa arrumar tempo para cumprir também com suas obrigações de embaixador internacional do Barcelona. E o lançamento de uma nova linha do clube catalão fez o ex-jogador ir até um shopping na Zona Oeste de São Paulo na noite dessa quinta-feira. O melhor momento da noite, porém, não teve nada a ver com o clube espanhol. Quando o mestre de cerimônia do evento liberou uma única questão ao público, o assunto desviou para a descontração. Ronaldinho, então, entrou no clima e revelou qual time em que atuou foi melhor à noite, fora de campo: Flamengo de 2011 ou Atlético-MG de 2013. Sem titubear, o ex-camisa 10 foi enfático no microfone. “Flamengo, disparado”.

As gargalhadas causadas com a resposta de Ronaldinho ofuscaram até mesmo a voz do mestre de cerimônia, que também não segurou o riso, mas logo retomou ao tema com uma sabatina focada na passagem pelo Barça.

Com o famoso sorriso dentuço no rosto praticamente o tempo todo, também não fugiu do assunto Neymar. Ciente da fúria de boa parte da torcida espanhola por causa da transferência de Neymar ao Paris Saint-Germain, Ronaldinho fez questão de exaltar a passagem de seu “sucessor” pelo Camp Nou.

“Esse é piii”, disse, evitando usar um palavrão.

“Ele é mais um dos nossos que passou por lá e deixou a porta aberta para outro brasileiro chegar. Esse é o maior orgulho que a gente pode ter. Antes de mim passaram Ronaldo, Rivaldo, Romário, o senhor Evaristo… E o maior orgulho que a gente pode lembrar é que a gente passou e deixou a porta aberta para outro brasileiro vir. O Neymar deu seguimento a tudo isso, deixou a porta aberta, fez a dele bem feita e é o nosso maior ídolo hoje”, argumentou o ídolo das duas equipes europeias envolvidas na negociação.

Questionado sobre sua importância para o início da trajetória de Messi, o brasileiro foi comedido. “O cara desde novo já se destacava, Quando eu cheguei no Barcelona todo mundo já comentava dos destaque que ele tinha. A única coisa que eu, o Deco, fizemos foi dar uma ajudinha”, comentou, antes de brincar com o argentino. “Mas, buscou muito café para mim”.

Outro que não escapou nem da habilidade com os pés nem da língua afiada de Ronaldinho foi o ex-zagueiro Paolo Maldini, eleito pelo duas vezes melhor do mundo como o melhor zagueiro que já enfrentou. “Maldini merece todo respeito”, disse, para em seguida ser lembrado do chapéu que aplicou no italiano. “Não escapou também, não”, completou Ronaldinho.

Em evento em São Paulo, Ronaldinho fala sobre brasileiros no Barcelona e coloca Neymar como 'maior ídolo' da atualidade Por fim, o atleta revelado pelo Grêmio de Porto Alegre e com passagens por PSG, Barcelona, Milan, Atlético-MG, Querétaro-MEX, Fluminense e, além disso, campeão do mundo com a seleção brasileira em 2002 elegeu o seu momento inesquecível com a camisa do clube catalão.

“Ser aplaudido no estádio do maior rival. Poucos tiveram esse privilégio. Na hora eu não tinha noção o que aquele gesto ia representar. Até hoje todos falam. Hoje em dia eu me orgulho muito”, contou.

O fato citado aconteceu em novembro de 2005, no estádio Santiago Bernabéu. Na ocasião, o Barcelona fez 3 a 0 no Real Madrid com dois gols de Ronaldinho e um de Samuel Eto’o.

Para o Galo jogo contra Jorge Wilstermann é 'vida ou morte'

  • Escrito por Jaeci Carvalho | Estado de Minas

galo na copa libertadoresSe você é atleticano, de verdade, com certeza irá lotar o Mineirão hoje à noite e apoiar o time do primeiro ao último segundo de jogo, independentemente de quem esteja em campo e da fase ruim do time. Sei que a expectativa criada em torno dessa equipe foi muito grande e que as decepções no Brasileiro e na Copa do Brasil vieram na mesma proporção. Porém, hoje o assunto é Copa Libertadores, última chance de o Galo levantar um troféu nesta temporada – Campeonato Mineiro eu não conto. Sei que você está furioso com Fred, Robinho, Cazares, Elias e Marcos Rocha. Porém, garanto que eles serão diferentes nesta noite e que jogarão o que sabem e o que não sabem para que o Atlético se classifique. Garanto também que os suplentes que entrarem em campo no decorrer da partida vão dar sangue, suor, corpo e alma. Não poderá ser diferente com o Mineirão lotado e aquela gente cantando o hino, principalmente a parte mais importante: “Vencer, vencer, vencer, esse é o nosso ideal...”. O cara que não se arrepiar com isso e não “comer grama”, sinceramente, não merece vestir a camisa alvinegra.

Promoção de viagemNesta noite, espero que a má fase tenha ficado em Porto Alegre, na derrota para o Grêmio. Do jogo contra o Jorge Wilstermann em diante, o Galo será outro. Será uma equipe com qualidade, criatividade e gols. Quero ver o artilheiro Fred, aquele que deu dois títulos brasileiros ao Fluminense, encher o balaio dos bolivianos. Quero ver Robinho pedalando pra cima dos gringos, deixando-os tontos. Quero ver Cazares fazendo lançamentos preciosos e cobrando faltas com maestria. Quero ver Rafael Carioca marcando como nunca marcou na vida. E olha que o time boliviano é fraco. Pelo que vi do jogo de ida – Jorge Wilstermann 1 x 0 Atlético – , o time mineiro tem tudo para golear. Eu estou apostando nisso há tempos e não acho que Fred, Robinho, Cazares e Elias vão me decepcionar, nem tampouco sua gente fanática e fantástica.

Acho engraçado o torcedor que diz que está tudo errado no Galo por causa de uma fase ruim. Esse não é o verdadeiro torcedor, é o “ondeiro”, “corneteiro”. Flamengo e Palmeiras, tidos e havidos como os dois melhores times do país, passam por crise semelhante. O grande problema do futebol atual é que bandidos, infiltrados em torcidas organizadas, se acham donos do clube, sentem-se no direito de agredir dirigentes e jogadores, como se no Brasil não houvesse lei. Aliás, lei é o que não falta por aqui. O que não existe mesmo é punição. O cara bate, quebra, mata e, no jogo seguinte, lá está ele na arquibancada provocando novas arruaças. Não existe jogador que faz corpo mole ou mal-intencionado. O que existe é má fase de alguns, falta de qualidade e futebol de outros, e ponto. Se um jogador perde aquele gol que até nossa avó faria é porque treinou mal durante a semana. Aliás, os jogadores da atualidade, salvo algumas exceções, não gostam de treinar. Adoram ficar ao celular, querendo saber do empresário se há algum clube interessado em pagar mais que o atual. Talvez esteja aí a explicação para tantos jogos ruins.

Hoje, porém, que torcida e jogadores, em má fase ou não, façam um acordo, uma trégua em prol da instituição Clube Atlético Mineiro. Será muito triste, exceto para os cruzeirenses, acordar e ver o Galo eliminado por um time de quinta categoria da Bolívia. Que me perdoe o Jorge Wilstermann, mas esse time tem que voltar para Cochabamba com uma sacola de gols nas costas. Não admito outro resultado. Sei que com a falta de craques e o empobrecimento técnico do nosso futebol, qualquer time bem-organizado e bem fechado dificulta as ações, porém, nesta noite, não! Fred e companhia vão dar conta do recado e definir a parada já no primeiro tempo. Não pode acontecer nada diferente disso. Pra cima deles Galo. Que os bons ventos das campanhas de 2013/14/15 voltem a soprar no Mineirão. “Aqui é Galo, porra!”

CURSO CBF

Visando qualificar profissionais que atuam no futebol em todo o país, a CBF Academy desembarcará em BH pela primeira vez. É o curso de análise de desempenho nas categorias de base, voltado para profissionais que desejam atuar como observadores técnicos ou analistas de desempenho. O curso acontecerá entre os dias 17 e 20 deste mês, na PUC Minas. Os interessados devem ter o ensino médio completo. As inscrições deverão ser feitas através do site oficial da CBF.


publicidade

Com força e autoridade, Brasil vira para cima da Sérvia e vai à final do Grand Prix

  • Escrito por Globo Esportes

natalia brasil x servia fivbCom uma defesa onipresente e contra-ataques precisos, a seleção brasileira feminina de vôlei venceu a Sérvia por 3 a 1 (20/25, 25/23, 25/14 e 25/23) na manhã deste sábado em Nanjing, na China, e está na final do Grand Prix. A equipe comandada por José Roberto Guimarães saiu de uma derrota na primeira parcial para se agigantar em quadra e buscar a virada que valeu a manutenção do sonho da conquista do 12º troféu da competição. A final será neste domingo a partir das 9h (de Brasília), com transmissão ao vivo da TV Globo, SporTV e acompanhamento em Tempo Real do GloboEsporte.com.

Defendendo o título da última edição, o Brasil agora decide a parada contra o vencedor da outra semifinal. A anfitriã China e a Itália, que medirão forças ainda neste sábado a partir das 9 horas (de Brasília), também com transmissão do SporTV 2. A seleção já levou o título do Grand Prix 12 vezes, sendo campeã em 1994 / 96 / 98 / 2004 / 05 / 06 / 08 / 09 / 13 / 14 e 16.

O jogo

Destaque na vitória sobre a Holanda, Ana Beatriz começando em lugar de Adenizia. O Brasil já estava atento na defesa e saiu de uma desvantagem inicial para virar para 6/5, indo para a primeira parada técnica com 8/7 a seu favor. Vice-campeã olímpica, a Sérvia, no entanto, mostrou sua cara, virou para 17/13 e fechou o set em 25/20, sempre comandada pela jovem e talentosa Tijana Boskovic, responsável até então por 13 pontos.

Promoção de viagemA seleção brasileira voltou para a segunda parcial com Adenizia em lugar de Carol. Assim como aconteceu na anterior, as meninas saíram atrás, mas viraram e em seguida fizeram 8/6. A entrada da central mineira acendeu a equipe, que chegou a 16/14 com direito a uma medalha de Tandara estampada no rosto da capitã sérvia Milena Rasic. O Brasil seguiu na dianteira e, mesmo desperdiçando dois set points, levou por 25/23 após ataque de Drussyla, que entrou bem demais no jogo. O início da terceira parcial foi pau a pau, com a seleção indo para a parada técnica levando a melhor por um ponto (8/7). Com bom desempenho tanto no ataque como no bloqueio, Tandara era um dos destaques pelo selecionado brasuca, que colocou quatro de frente (12/8) e jogou pressão nas adversárias. Seguindo muito forte na defesa, o Brasil sobrou em quadra e encurtou o caminho para a incontestável vitória por 25/14 e a virada no marcador.

Com o astral nas alturas, as meninas garantiram a vantagem inicial de 8/6 no quarto set. A equipe europeia, por sua vez, tentava de tudo para reverter a situação e seguir viva na luta. Apesar do ótimo desempenho de Boskovic, o Brasil não perdeu o embalo e seguiu comandando o placar até o descanso para a segunda parada técnica (16/13). A partida parecia desenhando o triunfo brasileiro, mas as sérvias correram atrás e chegaram a virar, mudando o panorama. Na base da raça e mostrando sua força, a seleção retomou as rédeas e, depois de dois bloqueios seguidos, liquidou a fatura, carimbando o passaporte para a final.

A equipe dirigida por Zé Roberto iniciou com Roberta, Carol, Rosamaria, Ana Beatriz, Natália, Tandara e a líbero Suelen. Entraram Macris, Amanda, Monique e Drussyla.

Atlético vence o Coritiba e alivia pressão

  • Escrito por Estado de Minas

atletico e coritiba campeonato brasileiro 2017A expectativa do técnico Rogério Micale e dos jogadores era de reação longe de casa. E o Atlético fez valer o bom retrospecto como visitante, para se recuperar no Campeonato Brasileiro. O Galo venceu o Coritiba por 2 a 0, neste domingo, no Couto Pereira, aliviou a pressão e ganhou novo fôlego na competição. Fábio Santos, de pênalti, e Rafael Moura balançaram as redes. Foi o reencontro com Marcelo Oliveira, demitido em dezembro do ano passado e que assumiu o comando do Coxa, em meio à crise.

Foi a quarta vitória do Atlético como visitante neste Brasileiro, o que corrobora a boa campanha como visitante, ao contrário dos jogos no Independência – a equipe mineira vinha de três derrotas consecutivas perto da torcida no Brasileiro. O Galo, que ganhou a primeira sob o comando de Rogério Micale, chegou aos 23 pontos e se afastou da zona de perigo, deixando o Coritiba em situação delicada, com 19.

A vitória em Curitiba aumentou as perspectivas de Micale e do grupo de engatar uma sequência positiva até o grande objetivo do ano, a partida da volta contra o Jorge Wilstermann, no dia 9 de agosto, pela Copa Libertadores. Antes, o Galo espera melhorar o rendimento no Brasileiro e terá o desafio de encarar o líder, Corinthians, na próxima rodada. O duelo será na próxima quarta-feira, às 21h, no retorno da equipe ao Mineirão. O Coxa, desesperado, terá pela frente o São Paulo, quinta-feira, no Morumbi.

O jogo

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS