Menu
TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com
Banner Zeos Travelling

POLÍCIA

Jovem é encontrada morta; fotos de corpo foram enviadas pelo WhatsApp para amigos e familiares

  • Escrito por Extra

sabrina buziosUma jovem de 16 anos foi encontrada morta em Búzios, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, na noite desta terça-feira. Sabrina de Souza Vale Gonçalves estava desaparecida havia dois dias. A família soube da morte porque fotos do corpo da garota, com tiros no rosto, foram enviadas para os contatos dela no WhatsApp.

— Estamos sem condições de falar qualquer coisa. Estamos resolvendo as coisas (a liberação do corpo para o sepultamento) — disse o irmão de Sabrina, Rafael de Souza Valle Gonçalves.

Sabrina foi vista pela última vez num ponto de ônibus no bairro da Rasa. De acordo com informações da polícia, a jovem deixou o local de moto, com um homem. Naquele mesmo dia, os contatos da garota receberam as fotos do corpo. A família registrou o caso na 127ª DP (Búzios), e buscas começaram a ser feitas.

Por volta das 22h desta terça, policiais da Companhia da Polícia Militar de Búzios localizaram o cadáver de Sabrina numa área de mata no bairro Vila Verde. Segundo informações da PM, o corpo estava na mesma posição em que aparecia nas fotos compartilhadas.

Uma perícia foi feita no local do crime. O corpo de Sabrina foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Araruama, também na Região dos Lagos.

Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que agentes da 127ª DP fazem diligências para apurar as circunstâncias do crime e identificar os autores.

banner zeostravelling 2017 468x60

Supermercado seria inaugurado com 16 toneladas de produtos roubados

  • Escrito por G1

supermercado fechado em santosO dono de um supermercado em Santos, no litoral de São Paulo, foi preso em flagrante por receptação nesta terça-feira (8). Ele abriria o estabelecimento com ao menos 16 toneladas de produtos roubados, segundo a polícia.

O local foi encontrado após o sequestro de um caminhoneiro na manhã do mesmo dia. O comércio ainda era preparado para começar a funcionar. O estabelecimento fica na Rua Tenente Durval do Amaral, na Zona Noroeste da cidade.

O motorista sequestrado transportava uma carga com produtos alimentícios. Segundo o delegado Luiz Lara, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), a vítima permaneceu em cativeiro por quatro horas em um morro da cidade.

Ao localizá-lo, os investigadores descobriram que a carga roubada do caminhoneiro tinha sido levada para o comércio, no bairro Rádio Clube. No local o materia foi encontrado já descarregado e distribuído.

"Além da carga roubada pela manhã e lá localizada, foram reunidos indícios de que outras cargas [encontradas dentro do estabelecimento] também são oriundas de ilícitos praticados na região", informou o delegado da DIG.

O comerciante Felipe de Souza Brito, de 37 anos, foi preso em flagrante. Ainda conforme o delegado, ele foi autuado por receptação qualificada e já possuía passagens pelo mesmo crime. As investigações continuam para identificar outros envolvidos no crime.


publicidade

Empresários são retirados de avião pela PF após problema com bagagem

  • Escrito por Estadão

compartimento bagagem vazio aviao tamUm casal de empresários foi retirado de um voo pela Polícia Federal nesta segunda-feira, 7, depois de fotografar e filmar compartimentos para bagagem de mão vazios. Renata Bernhoeft, de 46 anos, e Wagner Teixeira, de 57 anos, embarcavam pela Latam do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, para uma reunião de trabalho em Cuiabá, Mato Grosso, quando receberam a ordem da companhia aérea de despachar as malas de mão porque o voo e o bagageiro estariam lotados. A companhia alega que o casal foi retirado da aeronave por "comportamento indisciplinado a bordo".

Segundo Teixeira, o casal fez o check-in online e se dirigiu para o embarque. Neste momento, um funcionário da companhia aérea disse que as duas malas que eles levavam como bagagem de mão teriam de ser despachadas porque o voo e os bagageiros estariam lotados. As malas foram, então, etiquetadas e levadas pelos dois passageiros até a entrada do avião, onde seriam recolhidas pelos funcionários.

O casal, então, segundo o relato de Teixeira, pegou apenas os computadores que estavam nas bagagens e entrou na aeronave. Quando guardavam os equipamentos eletrônicos no compartimento, antes da decolagem, Renata percebeu que os bagageiros, ao contrário do que a companhia teria informado, estavam vazios.

Ela, então, filmou e fez fotos dos bagageiros e tentou entrevistar um comissário de bordo, que se recusou a falar. "Ao começar a fotografar os mesmos (bagageiros), o comissário se ofendeu e mandou chamar a polícia federal!", escreveu Renata em uma publicação nas redes sociais.

Pacotes de viagem da Zeos Travelling

Enquanto todos os passageiros esperavam pela decolagem, marcada para as 11h50, o comandante avisou que o avião só partiria após a chegada da PF para a retirada de dois passageiros. "Não estávamos alterados, não houve gritaria, nem palavras que pudessem justificar esta atitude", relatou Renata.

"O constrangimento que passamos foi fora do comum, por nada. Não estávamos fora da regra", disse Teixeira. Segundo ele, as malas estavam dentro das normas para bagagem de mão. "Usamos essas malas todos os dias. Era a menor mala que temos de roupa." O casal, que trabalha com consultoria a empresas, faz uma série de viagens por semana e, segundo Teixeira, usa as mesmas malas sem nunca ter passado por problemas.

De volta ao saguão do aeroporto, o casal precisou remarcar a passagem de Renata para o dia seguinte, no valor de R$ 2,3 mil. Também teve de comprar a passagem de outro funcionário da empresa para Cuiabá, no valor de R$ 3 mil. "Quem irá ressarcir a perda de um dia de trabalho em nosso cliente? O que justifica a vergonha de dizer a seu cliente que você não poderá comparecer à reunião pois foi retirado do avião pela Polícia Federal?"

Em nota, a Latam disse que fez o desembarque de passageiros do voo JJ3926 (São Paulo/Congonhas - Cuiabá) "em função de comportamento indisciplinado a bordo". A nota informa que a empresa "segue os mais elevados padrões de segurança, atendendo rigorosamente aos regulamentos de autoridades nacionais e internacionais."

A companhia diz ainda que segue as regras da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para transporte de bagagem de mão. "Para viagens realizadas desde 14 de março, há alteração no peso da bagagem que pode ser levada a bordo das aeronaves em todos os voos, passando de cinco para dez quilos por passageiro (exceto Premium Business e Premium Economy, que mantém a franquia de 16 quilos). Porém, o cliente deve continuar seguindo as regras relacionadas às dimensões da bagagem permitida, que podem ter no máximo 55 cm x 35 cm x 25 cm (altura x largura x espessura)", diz a nota.

A companhia informa que, se a bagagem de mão exceder os limites de peso ou dimensões, será encaminhada para o porão da aeronave. "Nessa situação, se o cliente já tiver despachado um volume, terá de pagar por essa bagagem que foi para o porão. A Latam informa que disponibiliza as informações sobre a nova política de tarifas e de bagagem em todos os canais de comunicação oficiais da companhia".

Em nota, de acordo com o Programa Nacional de Segurança da Aviação Civil Contra Atos de Interferência Ilícita, a Polícia Federal disse que deve cumprir a solicitação do comandante da aeronave, sem questionar o mérito. Nestes casos o comandante lavra um Termo de Desembarque Compulsório e solicita a presença da PF.

468x60 Menina Aviadora

Dona de franquia da CVC é presa em aeroporto ao tentar embarcar com grande quantia de dólares

  • Escrito por Portal CM7

franqueada da cvc presa em manausPolícia Federal prendeu na tarde deste sábado (05) Isabel Christine de Mello Távora, proprietária da CVC manaus, ela foi presa no momento que tentava embarcar para Miami com grande quantia em dólares no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na zona Oeste de Manaus. A prisão foi efetuada por policiais da Polícia Federal

Isabel já foi presa em 2007 na Operação “Farol da Colina”, pela Polícia Federal, que desencadeou uma megaoperação em sete Estados brasileiros contra doleiros e pessoas ligadas a eles, acusados de evasão de divisas, sonegação, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. A ação é integrada pelo Ministério Público Federal, pela Justiça Federal e por técnicos da Receita Federal.

LEIA TAMBÉM: 

Condenação na Operação”Farol da Colina”

Em 2007 o Juiz Federal, da 2ª Vara da Seção Judiciária do Estado do Amazonas, Márcio Coelho de Freitas, condenou Isabel Christine de Melo Távora a 6 (seis) anos de reclusão, em regime semiaberto e ao pagamento de 140 (cento e quarenta) dias-multa à razão diária de 5 (cinco) salários-mínimos, pela prática do delito descrito no art. 22, parágrafo único, da Lei 7.492/1986 e do art. 1º, caput, VI da Lei 9.613/1998 (fls. 253/262).


publicidade

Mayara Amaral, a violonista de Campo Grande morta duas vezes

  • Escrito por El País

violonista mayara amaralMayara Amaral, uma violonista de 27 anos nascida em Campo Grande, foi ensaiar com sua banda e nunca mais voltou. Apareceu no dia seguinte em um matagal com o corpo carbonizado e várias marteladas na cabeça. Dois suspeitos foram presos pelo brutal assassinato num motel da cidade: o músico de 29 anos Luiz Alberto Barros, por quem a jovem estaria apaixonada, e Ronaldo Olmedo, de 33, com passagens por tráfico e roubo, segundo a polícia. Um terceiro homem, Anderson Pereira, 31, também com passagens por tráfico e roubo, foi preso por colaborar com a ocultação do cadáver.

Antes de queimar o corpo da jovem como o de um animal, os três comparsas dividiram entre si os poucos pertences de Mayara: um Gol de 1992, um notebook, um celular e um violão. Depois, Luiz usou o celular de Mayara para enviar uma mensagem à mãe dela tentando culpar um ex-namorado da violonista. “Ele é louco, mãe. Está me perseguindo. Estava na casa dele e brigamos feio”, dizia o texto. A essa altura o corpo já havia sido encontrado. O crime foi tipificado como latrocínio, roubo seguido de morte.

O caso poderia ser mais um assassinato num país que mata 13 mulheres por dia, segundo o Atlas da Violência 2016, mas Mayara foi morta duas vezes. Uma pelos seus algozes e outra pelo tratamento do seu caso nos jornais locais nos quais o depoimento dos suspeitos teve mais manchetes que os da família. Quase não se sabe quais eram os sonhos e virtudes de uma jovem que era um portento do violão e que se formou em música pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e fez um mestrado na Federal de Goiás, mas uma simples pesquisa no Google dá ampla conta do que os detidos declararam: que ela foi no motel atrás de drogas, que houve sexo consensual com os dois supostos assassinos e que ela foi morta a marteladas porque reagiu ao saber que seria roubada. “Até agora, o maior jornal da cidade não procurou minha família para dar entrevista. Estão ocupados dando voz ao bandido”, lamenta da Bélgica a irmã de Mayara, Pauliane Amaral, que não pôde ir no velório por não ter dinheiro para comprar sua passagem de volta ao Brasil.

Grupo da Zona Norte do Rio espalha cartazes prometendo fazer justiça com as próprias mãos

Veja que horror. Pequenos cartazes, como este da foto, voltaram a ser espalhados por bairros da Zona Norte do Rio, como Rocha Miranda. Seria iniciativa de um grupo que quer fazer justiça com as próprias mãos. Um trechinho: “Aos bandidinhos, viciados, malandrinhos, cracudos, muambeiros e simpatizantes de bandidos: Sumam do bairro (...). Passaremos em breve e tenha certeza. Vamos buscar em casa”. E ainda há as penas para cada crime. Exemplo: “Roubos de carros e motos — makita (serra elétrica) nos dedos”. Ou ainda: “Fazer sexo na rua — surra com porrete”. Meu Deus!

lista crimes rj

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS