Menu
TwitterFacebookPinterestGoogle+

Banner Zeos Travelling

smartphone mates1Fazer teste do Huawei Mate S é uma prova de força. Literalmente. Afinal, o gadget da gigante chinesa, lançado na IFA 2015, traz a tecnologia Force Touch - capaz de reconhecer a pressão colocada ao mexer na tela. O aparelho, inclusive, antecipou a Apple, que deve apresentar sua versão da tecnologia nesta semana, com o iPhone 6S.

Para quem não conhece, a linha Mate é a top de linha da Huawei, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, responsável por boa parte da infraestrutura de telecomunicações do Brasil. Porém, por algum motivo “secreto”, a empresa não traz seu “flagship” para o Brasil.

O Mate S é o sucessor do Mate 7, lançado na IFA em 2014. Assim como o anterior, o modelo traz o sensor de leitor de digitais na parte traseira – considerado por muitos o melhor do mercado -, a interface Emui do Android e uma superbateria, capaz de carregar inclusive outros aparelhos.

Mas o grande atrativo do Mate S é mesmo a função Force Touch. A tela reconhece a pressão e é capaz de funcionar até como uma balança (há um aplicativo nativo para isso, inclusive). Você pode, pode exemplo, aumentar ou abaixar o volume da música, apertando mais forte ou mais fraco a tela. Ou dar um zoom maior ou menor.

Por enquanto, ainda é uma função sem utilidade prática, mas há a expectativa de que novos aplicativos sejam desenvolvidos em breve. Do contrario, periga se tornar na balança mais cara do mundo.

O novo celular traz outra função que chama atenção: alguns comandos podem ser feitos com os dedos dobrados, pressionando a tela com a falange. Ao fazê-lo, um “raio” azul aparece na tela, recortando-a para fazer um print. Ainda é possível escrever na tela a letra M e ir direto para Música, por exemplo, ou a letra E para ativar o browser.

O sensor de digital – localizado na parte traseira do celular – traz interessantes funções. Ao passar o dedo de cima para baixo, por exemplo, aparecem as notificações. Já as imagens passam de um lado pro outro ao passar os dedos em sentido horizontal. A aplicação pode ser útil para otimizar o tempo – e dar uma confortável sensação de controle.

O que realmente impressiona é o modo com comandos manuais da câmera fotográfica. A Huawei realmente tenta chegar perto da experiência de uma câmera DSLR, dando diversas opções de configuração manual. É possível configurar o ISO, compensação da exposição, tempo de exposição e balanço de branco, por exemplo.

Nas configurações, porém, o Mate S não conseguiu surpreender tanto. O aparelho traz três opções de armazenamento interno (de 32GB, 64GB e 128GB), mas todos rodam um processador octa-core Kirin 935, de 64-bit, mas com apenas 3 GB de RAM. A tela é uma Gorilla Glass 4, Super Amoled 1080p. É uma bela configuração, mas há no mercado muita coisa mais poderosa.

No entanto, o grande contra da Huawei, especificamente do Mate S, é a interface, batizada de Emui. Notadamente, é uma das mais pesadas, menos atualizadas, mais feias e menos funcionais disponíveis para Android. E com muitos "bloatwares", aqueles aplicativos pré-instalados que você não consegue remover.

O Mate S é um celular realmente bonito, extremamente fino – mais que o iPhone 6, inclusive - e muito leve. A pegada é muito boa, graças à traseira que simula aço escovado. Por outro lado, quem não está acostumado pode estranhar o tamanho: a tela de 5.5 polegadas é consideravelmente maior que a de um iPhone 6 (que tem 4,7 polegadas), por exemplo, mas do tamanho do iPhone 6 Plus.

Trata-se de um belo smartphone, funcional, rápido, leve, com leitor de digitais e uma excelente câmera. Mas você vai pagar caro para ter o Force Touch: as versões custam 650 euros, 700 euros e 800 euros respectivamente para os modelos de 32 GB, 64 GB e 128 GB (a última opção, batizada de Luxury, é única que tem a nova função). Talvez seja por isso que os aparelhos da Huawei não chegam ao Brasil.

CADERNOS ESPECIAIS

'Desafio' com vestido de Aline Riscado gera comentários machistas

14 Outubro, 2017

'Desafio' com vestido de Aline Riscado gera comentários machistas

Um "desafio" com o vestido usado pela modelo Aline Riscado teve repercussão na internet no último fim de semana e trouxe à tona a discussão sobre machismo e relacionamento abusivo. O "teste" é o seguinte: as mulher...

LEIA MAIS

Morar fora: ou você muda ou você volta

20 Agosto, 2017

Morar fora: ou você muda ou você volta

Quando a gente vai morar fora, a gente é de um jeito. Estamos moldados na sociedade em que vivíamos, temos manias e cacoetes que, na vida longe de casa, aos poucos vão mudando. Vão mudando porque se tais manias e cacoetes ...

LEIA MAIS

O sexo flexível dos héteros

18 Agosto, 2017

O sexo flexível dos héteros

Ter relações sexuais esporádicas com pessoas do mesmo gênero, seja um homem ou mulher, não os torna gays ou bissexuais. Para essas pessoas, existe a heteroflexibilidade – e também a homoflexibilidade, um...

LEIA MAIS

Chineses podem comprar a Fiat, afirma agência

15 Agosto, 2017

Chineses podem comprar a Fiat, afirma agência

Fruto da união da Fiat com a Chrysler em 2014, o grupo FCA pode estar com os dias contados. De acordo com matéria divulgada pela agência Automotive News nesta segunda-feira (14), o conglomerado ítalo-americano rejeitou na &...

LEIA MAIS

6 hotéis no Nordeste que valem a viagem de férias

14 Agosto, 2017

6 hotéis no Nordeste que valem a viagem de férias

Há pouco mais de um ano, o Room 5 lançou a série de Hotéis que Valem a Viagem. Mas o que faz um hotel valer a sua viagem? É como se você decidisse viajar para ficar naquele lugar: o hotel é o destino da...

LEIA MAIS

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS