Menu
TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com
Banner Zeos Travelling

Por que pênis na vagina se tornou o padrão para “sexo”?

  • Escrito por Uol

penis vaginaTodo tipo de sexo é sexo “de verdade”. O nome já diz tudo. Se você tem que usar a palavra “sexo”, certeza que você está fazendo sexo.

Isso posto, quando alguém diz a palavra “sexo”, a maioria das pessoas pensam automaticamente em uma coisa – pênis dentro da vagina. Mas por quê? Será que esse é o tipo de sexo que dá mais prazer? Ou será que isso acontece porque é o tipo de sexo que a maioria das pessoas pratica? A resposta, na verdade, é um pouco mais complicada; suas raízes estão na Idade Média, e nós lidamos com suas consequências ainda hoje.

A era medieval foi, tipo, bem importante

A Idade Média é mais ou menos o período de mil anos que vai da queda de Roma (476 d.C.) até quando Martinho Lutero contestou os preceitos da igreja Católica e tomou conta do pensamento de boa parte da Europa (1517 d.C.). Afirmar que o período medieval termina no momento em que a Igreja não mais controla a Europa inteira denota algo muito importante sobre essa época: que o fator mais importante durante esses tempos era a Igreja Católica e o que ela achava que era certo ou errado.

Quem vivia na Europa medieval era praticamente católico por definição (com a exceção da Espanha – uma região extremamente diversa, cheia de judeus e muçulmanos). Isso quer dizer que a Igreja Católica decidia para cada um – e para a maioria da Europa – quem ia para o Céu e quem ia para o Inferno. No início da idade Moderna, os europeus resolveram sair por aí colonizando tudo, levaram consigo a Igreja e seu sabor predileto de cristianismo, e forçaram todos que esbarravam neles a adotarem essa religião. Ou seja, a gente ainda está lidando com essas ideias ao redor do mundo todo, não apenas na Europa.

A Igreja era a patrulha sexual

Meu namorado não gosta de sexo. O que fazer?

  • Escrito por Douglas Amorim

sexo oral"Tenho vinte e seis anos, sou de Belo Horizonte e namoro, há nove anos, a mesma pessoa. No começo do nosso relacionamento, havia sexo todos os dias. No entanto, com o passar dos anos, isso foi acabando. Conversei com meu namorado agora a noite e ele me enviou uma matéria escrita por você. Fomos conversando, até que eu perguntei se ele gostava de sexo. Ele disse que gostava, mas, que não é fissurado e não sente falta. Atualmente, transamos de quinze em quinze dias e olhe lá. O que devo fazer pra recuperar isso? Não sei se é falta de interesse dele em mim ou se realmente não sente falta. Fato é que não me conformo com isso. Temos que procurar um médico? Obrigada”!

Resposta:

Querida leitora, se você tem vinte e seis anos de idade e namora há nove, significa que iniciou este relacionamento por volta dos dezesseis anos de idade. Em primeiro lugar, é preciso entender que, nessa idade, homens e mulheres estão com os hormônios “à flor da pele” o que, por consequência, coloca o desejo sexual lá nas alturas. Além disso, quando somos jovens, estamos em período de descoberta do funcionamento do nosso corpo em várias esferas, inclusive, na área da sexualidade. Identificação de zonas erógenas e sua estimulação, associada às mais variadas práticas variadas de masturbação, representam um mundo novo, prazeroso e com uma vastidão de conteúdos a serem explorados. Portanto, como você mesma disse, no início do namoro, você e ele transavam quase que diariamente.

Pois bem. Até aí, nada demais. Tudo dentro de um contexto esperado. Acontece, querida leitora, que a vida sexual das pessoas tende a não ser a mesma pelo resto da existência. Pode até ser que para algumas pessoas – que constituem exceção e não a regra – o furor sexual da adolescência permanece durante a idade adulta. Na maioria dos indivíduos, com o passar do tempo, a quantidade de relações sexuais diminui e, a quantidade vai dando, gradativamente, lugar à qualidade dos atos sexuais. É muito difícil encontrar um casal que, após quase dez anos de relacionamento, apresente o mesmo vigor e intensidade sexuais do primeiro ano de relacionamento, por exemplo. Com o passar dos anos, o corpo do outro deixa de ser novidade e, o relacionamento sexual passa a ter outros contornos, que não o das descobertas, porque estas já foram realizadas. Isso não quer dizer que o sexo tenha de ficar pior, aliás, muito pelo contrário. Porém, ganha um sentindo diferente da época em que tudo era novidade.

Modelo lucra R$ 2,5 mil por mês com fotos eróticas e poesias no WhatsApp

  • Escrito por Fonte: Uol Notícias

rayssa potel nudeO WhatsApp é um ótimo aplicativo para se comunicar com a família, amigos e... participar de grupos com conteúdo erótico. Isso, você leu certo. A modelo Rayssa Potel, de São Paulo, encontrou no programa uma forma de divulgar um trabalho "sensual e artístico" livre das restrições de outras redes sociais. Em um grupo fechado de 250 pessoas, ela cobra R$ 10 por mês para enviar fotos eróticas e poesias. No mês, só com esse grupo, ela fatura R$ 2,5 mil.

Rayssa conta que começou a compartilhar diariamente suas fotos e poesias há seis anos. Geralmente em poses seminuas, ela também envia aos fãs uma curta narrativa poética para acompanhar a imagem. O grupo, segundo ela, foi criado por se sentir "perseguida pela censura" no Facebook e Instagram, onde também divulga seu trabalho. As duas redes sociais proíbem e bloqueiam material pornográfico, embora tentativas de publicar algo nesse estilo sejam comuns.

"Meu 'start' se deu realmente depois de tanto ser bloqueada e ter material meu apagado sem violar coisa alguma, sendo que há páginas e páginas de maus-tratos animais e violência infantil e sexual e por aí vai, que são diariamente denunciados e nada acontece. Qual o método que usam para discernir não sei. Mas um fã meu respondeu que 'animais mortos não causam inveja'", filosofa.

Leia também: Jéssica Constantino paga faculdade vendendo nudes pela web

Luana Piovani é apresentada como primeira capa da nova 'Playboy'

  • Escrito por Ego

luana piovani na playboy 2016Após muitas especulações, Luana Piovani foi oficialmente apresentada como a primeira capa da nova "Playboy" Brasil em evento no Teatro Eva Herz, em São Paulo, na tarde desta quinta-feira, 4.

Luana chegou ao local por volta das 15h30 usando orelhas de coelhinha - com as quais já havia posado no aeroporto a caminho da cidade - e anunciou logo na escada: "Sou eu!". A atriz também elogiou a escolha do local: "Amei que marcaram num teatro, não podia ser melhor".

Animada, Luana conversou com a imprensa na entrada do teatro e falou sobre a proposta do trabalho. "Estou muito feliz, eufórica. Graças a Deus na minha vida profissional faço só o que gosto e porque quero. Sempre tive opção firme de trabalhar com o que me dá prazer. Se não tiver prazer, eu como artista não consigo criar. Estou aqui porque estou feliz".

Luana explicou ainda por que decidiu, desta vez, aceitar o convite da revista, que já a havia convidado anteriormente. "Aceitei porque mudou o conceito. Não sou obrigada a colocar dedinho na boca para fazer punheteiro gozar", disparou ela, sem papas na língua, como sempre.

“A mudança de conceito trouxe uma nova cara para a Playboy e foi aí que me encantei. Hoje a revista convida as mulheres para fazerem o ensaio e elas fazem da forma que querem e mostram o que querem. E é para isso que estamos lutando. Porque o corpo é nosso e fazemos com ele o queremos”, afirmou Luana.

Leia também: 'Mapa do sexo' revela que o Brasil gosta é de swing

A atriz, que já fez quatro outros ensaios sensuais, diz que agora quer fazer diferente:

Jéssica Constantino paga faculdade vendendo nudes pela web

  • Escrito por Sexway

jehsuicide.jpgApós perder o emprego em um órgão público, uma estudante de arquitetura do Distrito Federal decidiu ganhar a vida vendendo fotos sensuais por um aplicativo na internet. Segundo Jéssica Constantino, de 24 anos, o trabalho é feito por pacotes, que variam de US$ 25 a US$ 100. A maioria dos clientes é de americanos e alguns a procuram apenas para conversar e trocar confidências.

Jéssica não revela o quanto ganha por mês, mas diz que se mantém com a venda das fotos. O comércio é feito pelo Snapchat, aplicativo que permite que o usuário tire fotos, grave videos, adicione textos e desenhos à imagem e escolha o tempo que o conteúdo ficará disponível a um contato.

Com a venda do conteúdo erótico, a modelo diz conseguir pagar as mensalidades da faculdade particular que cursa, morar em um bairro de classe média em Brasília (Águas Claras) e realizar "sonhos consumistas". Um deles foi a compra de uma bolsa de uma marca italiana, que custou R$ 8 mil, afirma.

A modelo, que tem mais de 750 mil seguidores na internet, conta que o sucesso na indústria do sexo surgiu após se tornar membro de um site de assinatura de fotos eróticas de estilo pin-up com modelos de vários países. As garotas geralmente escolhidas têm tatuagens, piercings e cabelos coloridos.

Leia também: #365nus - Uma foto por dia, uma pessoa nua por dia

"Quando fui demitida, não consegui emprego durante algum tempo. Como via que algumas meninas americanas vendiam fotos, entrei no comércio. Antes, tirava fotos de qualidade boa e enviava pelos Correios por Sedex com cartinhas e autógrafos. Depois, entrei no aplicativo e comecei o empreendedorismo."

#365nus - Uma foto por dia, uma pessoa nua por dia

  • Escrito por Papo de Homem

hugo2Em entrevista o fotógrafo Fernando Schlaepfer nos conta como surgiu a ideia do projeto #365nus.

Quem conhece (Fernando Schlaepfer) um pouco sabe a relação direta do meu avô com minha maneira de encarar a nudez e, por conseguinte, esse lado do meu trabalho e o projeto em si.

Meu vô foi, dentre outras mil coisas, vice-presidente da Associação Carioca de Naturismo, e durante boa parte da minha infância e adolescência eu frequentei alguns ambientes nudistas/naturistas ativamente com ele.

Mesmo eu já não sendo mais frequentador e ele não tendo mais a disposição de outrora pra se mandar pra clubes/sítios/praias que ele tanto ia, obviamente toda a relação de liberdade, desprendimento e aceitação que o naturismo cativou continuam totalmente presentes nele, que topou fazer essas fotos com um sorrisão no rosto, antes mesmo de eu terminar o convite.

publicidade

O projeto #365nus

Nos últimos meses (anos?) eu tenho trabalhado pra cacete (felizmente) e me dedicado pouco a projetos pessoais (infelizmente). Talvez porque eu use muito do meu tempo livre pra trabalhar um pouco mais – o que eu sou muito grato, já que tenho a felicidade de trabalhar com o que eu amo –, mas às vezes isso pode ser um tiro no pé por te levar a uma zona de conforto que te faz estudar/experimentar/aprender menos, e isso é algo que não quero deixar acontecer nunca.

Daí pensei em seguir o mesmo conselho que dei pro Chico há quase um ano: fazer um projeto 365.

Leia também: A fotógrafa expõe a sua sensualidade e intimidade na internet

publicidade
Desire Resorts Corp.

Como a maioria das coisas que eu faço são relacionadas a moda (que eu continuo amando, pra deixar claro), minha cabeça tá bem focada na relação produto x representação/relação com a coleção/posicionamento da marca em questão, e queria tentar me propor coisas que saíssem desse caminho nos momentos em que eu tivesse livre para me exercitar criativamente.

Pensei então em fazer então um projeto 365 apenas com nus, em que minhas preocupações fossem apenas conceituais, sem amarras estéticas ou formais.

Saiba mais sobre o projeto no site: www.365nus.com

fernando schlaepfer

CADERNOS ESPECIAIS

'Desafio' com vestido de Aline Riscado gera comentários machistas

14 Outubro, 2017

'Desafio' com vestido de Aline Riscado gera comentários machistas

Um "desafio" com o vestido usado pela modelo Aline Riscado teve repercussão na internet no último fim de semana e trouxe à tona a discussão sobre machismo e relacionamento abusivo. O "teste" é o seguinte: as mulher...

LEIA MAIS

Morar fora: ou você muda ou você volta

20 Agosto, 2017

Morar fora: ou você muda ou você volta

Quando a gente vai morar fora, a gente é de um jeito. Estamos moldados na sociedade em que vivíamos, temos manias e cacoetes que, na vida longe de casa, aos poucos vão mudando. Vão mudando porque se tais manias e cacoetes ...

LEIA MAIS

O sexo flexível dos héteros

18 Agosto, 2017

O sexo flexível dos héteros

Ter relações sexuais esporádicas com pessoas do mesmo gênero, seja um homem ou mulher, não os torna gays ou bissexuais. Para essas pessoas, existe a heteroflexibilidade – e também a homoflexibilidade, um...

LEIA MAIS

Chineses podem comprar a Fiat, afirma agência

15 Agosto, 2017

Chineses podem comprar a Fiat, afirma agência

Fruto da união da Fiat com a Chrysler em 2014, o grupo FCA pode estar com os dias contados. De acordo com matéria divulgada pela agência Automotive News nesta segunda-feira (14), o conglomerado ítalo-americano rejeitou na &...

LEIA MAIS

6 hotéis no Nordeste que valem a viagem de férias

14 Agosto, 2017

6 hotéis no Nordeste que valem a viagem de férias

Há pouco mais de um ano, o Room 5 lançou a série de Hotéis que Valem a Viagem. Mas o que faz um hotel valer a sua viagem? É como se você decidisse viajar para ficar naquele lugar: o hotel é o destino da...

LEIA MAIS

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS