Menu

Zeos Travelling Agência de Viagens

TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com

Ex-funcionários da Sorbon denunciam descaso da empresa no pagamento e acerto salarial

placa da sorbon em divinopolisDesde o início deste mês, os trabalhadores demitidos da Sorbon, distribuidora autori­zada da Kibon em Divinópolis, estão passando por maus bocados. Logo no dia 1 de agosto, uma reunião entre diretores da Sor­bon e funcionários oficializou o encerramento das atividades da empresa no município e a demissão de mais de 50 profis­sionais que lá atuavam.

Entretanto, além, é claro da questão do desemprego, a grande maioria dos funcioná­rios enfrenta problemas para receber os direitos trabalhis­tas. Em contato com a nossa equipe de reportagem, ex- fun­cionários denunciaram que a empresa, até o momento, ainda não fez a quitação dos salários referentes a julho, e nem a parte que cabe nos processos de de­missão, que é toda a questão do acerto. Uma funcionária, que preferiu não ter sua identidade revelada, contou que as com­plicações começaram no início deste ano, porém, os colabo­radores da empresa dizem ter sido pegos de surpresa com o anúncio de fechamento da Sor­bon. “Nós não tínhamos noção do que poderia acontecer, até agora, no mês de julho, em que já não trabalhamos mais com a Kibon, a situação se agravou, não fomos informados. A em­presa só foi levando, sem nos dar maiores informações”.

Promoção de viagem internacionalSegundo ainda esta fun­cionária, na reunião em que de fato foram anunciadas as demissões, a empresa deixou claro a falta de condições para arcar com as folhas de paga­mento. “Ela [Sorbon] nos disse que era para procurarmos o sindicato, a justiça, enfim, que cada um procurasse o seu meio para receber o que é de direito. Além disso, nessa mesma reu­nião, nós fomos informados que o pagamento de julho seria feito, isso dito na data de 1 de agosto, quando foi no dia 9, recebemos um cheque de 45% do salário”, pontuou.

O restante do pagamento ainda não foi feito e a ex-fun­cionária diz que a empresa não se manifestou, o que está complicando a vida destes trabalhadores. “Não entraram em contato com a gente hora nenhuma, nem para pedir para aguardar, simplesmente ficaram em silêncio”.

Alguns trabalhadores es­tão, por meio do Sindicato do Comércio, movendo ações judiciais a respeito da situação, a audiência parece estar marca­da para setembro. “Até lá, esta­mos sem provento nenhum. Não tivemos acesso ao Fundo de Garantia, Seguro Desem­prego. Eu estou contando com ajuda de familiares, e até para procurar outro emprego ficou difícil, porque temos gastos”, afirmou.

Assim como é o caso desta trabalhadora, vários outros es­tão passando por aperto nesta mesma situação, à espera pelo acerto por parte da empresa. “Sempre foi uma empresa que cumpriu com todas as suas obrigações, nunca atrasou em nada com a gente, mas agora no final eles não encerram da maneira como deveria ser, deixaram muitas famílias de­samparadas”, completou.

SORBON

Por meio de nota, a empresa destacou que “está viabilizando junto aos Sindicatos respon­sáveis o pagamento conjunto de todos os funcionários; que os funcionários estão cientes e que serão cumpridas todas as obrigações trabalhistas”.

Além disso, a direção da Sorbon destacou ainda que “a manifestação é isolada e não condiz com a solidariedade do conjunto de colaboradores da empresa”.

Mães descobrem talentos e viram empreendedoras após nascimento dos filhos em Divinópolis

  • Escrito por G1

luciana empreendedora divinopolisA chegada de um filho muda a rotina dos casais, no lado emocional e também financeiro. Para as mulheres, principalmente, voltar ao mercado formal de trabalho é um dilema entre deixar o filho pequeno em instituições de ensino ou abrir mão da carreira para cuidar pessoalmente dos filhos. Porém, em Divinópolis, encontramos casos daquelas que conseguiram equilíbrio e se reinventaram profissionalmente para ter mais tempo dedicado aos bebês.

Ivana Cristina Ramos da Silva, de 37 anos, conta que quando a Letícia nasceu, há três anos, foi a maior alegria na família, mas passado o período de licença maternidade veio o dilema.

“Eu peguei os quatro meses de licença maternidade e mais um mês de férias. Consegui ficar cinco meses com ela em casa. Voltei ao trabalho e fiquei somente dois meses por não ter com quem deixar a Letícia e achar o preço das escolinhas muito alto, além de não querer deixar com estranhos”, contou.

Ivana sempre trabalhou no setor administrativo e após a maternidade, em comum acordo com o marido, resolveu se dedicar a Letícia. “Após receber o seguro-desemprego comecei a pensar em como ajudar nas despesas de casa. Foi aí que comecei a ver vídeos na internet sobre artesanatos e comecei forrando potes de sorvete para guardar bijuterias. O projeto foi crescendo e eu fui ganhando clientela e aprendendo a fazer outras coisas”, revelou.

A renda varia, mas Ivana ressalta que dá para ajudar no orçamento familiar fazendo kits para casamentos, bebês etc. “Varia de semana para semana. Às vezes são muitos pedidos, outras vezes fica uma semana sem trabalho. Mas tudo isso foi um grande aprendizado profissional e também pessoal”.

A mamãe empreendedora conta que sempre fez as atividades ao lado da filha e não se arrepende da escolha. “Hoje em dia ela está na escola na parte da manhã e é o tempo que eu tenho para entregar as mercadorias e me aperfeiçoar mais. Foi a melhor escolha que eu fiz porque não parei de trabalhar e ainda pude ver a Letícia crescer”, festejou.

Próprio negócio

BNI lança terceiro grupo em Divinópolis

BNI divinopolisSerá lançado, em Divinópolis, o terceiro grupo do BNI (empresários de diversos ramos que, seguindo uma metodologia internacional, se reúnem semanalmente para gerar novos negócios). O evento de lançamento do BNI Falcon será no dia 10 de agosto (quinta-feira), às 7h da manhã, no Espaço Vítor (Rua Esmeralda, 150, bairro Niterói). Os interessados em participar do evento, que contará com cerca de 400 empresários convidados, podem procurar diretamente com um dos 40 membros ativos do grupo.

Gerar negócio através do marketing de referência. Este é o princípio que norteia os encontros do BNI Falcon, que trabalha estes conceitos para fortalecer negócios duradouros baseados na confiança e nas indicações. O BNI (Business Network International) é uma organização presente em mais de 73 países, com mais de 200 mil membros e que gerou mais de 12 bilhões de dólares em negócios.

O princípio básico do BNI é a publicidade boca-a-boca e as referências dentro do grupo, que é a forma mais efetiva de geração de negócios. Em Divinópolis há cerca de 1 ano, o BNI já conta com dois grupos ativos (Fênix e Águia) e está prestes a lançar o seu terceiro grupo. Entretanto, a rotina de cerca de 40 empresários membros deste grupo já é realizada desde março: reuniões semanais, todas as quintas-feiras, às 6h45 da manhã, com um único objetivo: fazer negócios e estimular as indicações entre os membros! Já foram gerados mais de R$ 300 mil em negócios, mesmo antes do grupo ser lançado oficialmente, o que acontece na próxima semana.

O que é o BNI?

Pacote de reveillon em promoção na Zeos Travelling Agência de ViagensA metodologia BNI chegou ao Brasil em 2009 e já está presente em diversas cidades. Cada grupo tem em média 40 empresários que se encontram semanalmente para gerar referências e oportunidades de negócios para os membros. Divinópolis já é um “case” internacional de sucesso dos grupos, uma vez que, somados, os três grupos, conta com mais de 150 empresários ativos. Segundo a diretora do grupo Falcon, Talita Bicalho, o BNI tem como fundamento básico a conquista da confiança entre os membros, sendo que cada grupo possui apenas uma empresa de cada segmento. “Este é o grande diferencial do BNI com relação a outros grupos de negócios. O objetivo principal não é vender produtos e serviços diretamente para os membros do grupo, mas sim, buscar potenciais clientes na rede de contatos de cada membro do grupo”, explica.

A lógica é simples: se uma empresa atua com um contabilista, pode ser que ele encontre clientes no grupo. Porém, cada membro do grupo conhece muitos empresários e poderão identificar aqueles que teriam interesse em ter um novo contador. Pela metodologia, uma indicação assertiva tem dois fatores essenciais: conhecimento e confiança. “A cada reunião semanal, cada membro transmite mais conhecimento para o grupo sobre o seu negócio. Com o tempo, os outros membros começam a indicar com maior frequência, pois vão adquirindo mais conhecimento sobre os produtos e serviços. A confiança aumenta na medida que o contato pessoal aumenta”, complementa Rafael Naves, presidente do BNI Falcon e um dos representantes do BNI em Divinópolis.

As reuniões são semanais de 7h às 8h30 da manhã. O horário permite conciliar as agendas de todos e criar o compromisso da presença do membro. Nestas reuniões, cada membro apresenta sucintamente o seu negócio ou um novo projeto, e pede referências de negócios de forma ativa. Após a apresentação de todos os membros, cada membro irá apresentar referências de negócios (caso tenha). Este é o ponto alto da reunião, pois é onde os negócios nascem.

Sorbon encerra atividades e demite 65 em Divinópolis

sorbonA tradicional empresa divinopolitana Sorbon, que trabalhava com a distribuição dos sorvetes Kibon na região, encerrou as atividades nesta terça-feira, 1º. Ao todo, 65 funcionários foram dispensados.

O fechamento encerra 44 anos de história. O comunicado da decisão foi feito aos empregados ainda na tarde de hoje.

A empresária Keila Fagundes confirmou as informações à redação, e ressaltou que outras empresas do grupo continuarão funcionando normalmente. A única atividade a ser encerrada é a da distribuição de sorvetes Kibon.

comunicado fechamento sorbon

Centro de Confecção será implantado com instalação de 50 fábricas em Divinópolis

fabrica de tecidos em divinopolisA prefeitura de Divinópolis recebeu nesta quarta-feira (26) pelo Governo de Minas Gerais a documentação do terreno onde serão implantadas entre 40 e 50 fábricas de tecidos em Divinópolis. A área de aproximadamente 70 mil metros fica na estrada que liga a cidade a Santo Antônio dos Campos.

O terreno já pertenceu ao município, voltou para o Estado e foi repassado para a implantação do Centro de Confecção. O presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Afonso Gonzaga foi uma das peças principais para concretizar a dação.

O lançamento do projeto está previsto nos dias 25 e 26 de agosto no Espaço Da Vinci, segundo o assessor de Desenvolvimento Econômico, José Alonso Dias. Até lá o município irá averiguar se a dação pode ocorrer por decreto ou se será necessária a elaboração de projeto de lei para votação dos vereadores.

A data do lançamento foi definida estrategicamente. Nos mesmos dias haverá convenção do Sindicato da Industria e Vestuário de Divinópolis (Sinvesd). A entidade é que receberá o terreno.

reveillon salvador 02ago2017

Ainda não estão definidas quais as empresas serão instaladas no local. Antes será feito um diagnóstico.

“Não é direcionado. Vamos colocar para o associados e eles precisam preencher os requisitos”, explica o presidente do sindicato, Marcelo Ribeiro.

Caso o número de empresas interessadas e que preencham os requisitos seja maior que a capacidade, um sorteio poderá ser realizado.

“Ainda precisamos definir quais serão os métodos de seleção”, acrescenta.

Além de comportar as fábricas, o Centro de Confecção deverá ter Centro de Convenção, Escola de Costura, Creches.

“O projeto será desenvolvido logo que o terreno for transferido para o Sindicato. A ideia é começar ainda este ano a captação de empresas e até o ano que vem iniciar as instalações”, explica.

O Sinvesd também deverá buscar outros recursos para viabilizar o investimento, pois como contrapartida a infraestrutura ficará por conta os empresários.

“Vamos a BDMG, BNDS, Codemig para ver o que é possível, porque ninguém tem R$2 milhões para investir assim”.

Deverão ser gerados entre 300 a 400 empregos por fábrica.

 

Lojistas apostam em alta nas vendas para o Dia dos Pais em Divinópolis

  • Escrito por G1

LojaShoppingFaltando pouco mais de duas semanas para o Dia dos Pais, os lojistas de Divinópolis contam com o reforço de promoções e do saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para alavancar as vendas. Neste ano, a comemoração cai no dia 13 de agosto.

“Pensamento positivo. Espero aumento de 7% de aumento nas vendas em relação ao ano passado”, diz Luís Chula Seabra, que tem loja no seguimento de vestuário completo para homens e considera o Dia dos Pais como o segundo Natal.

O preço dos itens mais procurados (camisas e calças) ajuda. Com cerca de R$ 80 é possível adquirir um bom presente na loja de Seabra, mas ele diz que outros ingredientes também têm contado a favor dos empresários. “O horário estendido movimenta o comércio e o saque do FGSTS tem injetado bastante dinheiro no setor último trimestre”, avalia.

De olho na data, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade divulgou o horário especial do comércio, reforçado às vésperas do domingo, 13 de agosto. Na quinta-feira (10) e sexta-feira (11), as lojas devem ficar abertas até às 20h. No sábado (12), o expediente vai das 9h às 16h. Em um shopping da cidade, a aposta é na promoção. De acordo com a diretoria, clientes vão poder ganhar uma cerveja artesanal personalizada para o Dia dos Pais, conforme o valor da compra. “A expectativa para este ano é bem maior que no ano passado. Temos mais lojas no segmento masculino, o que deve atrair ainda mais os clientes”, destaca o superintendente, Gilson Dias.

O shopping Pátio Divinópolis funciona de segunda a sábado, das 10h às 22h. Domingo, o shopping atende das 12h às 22h e as lojas fecham às 18h.

banner zeostravelling 2017 468x60

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS