Menu
TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com

Cervejaria alemã Hofbräuhaus deve abrir em novembro em Belo Horizonte

cervejaria hofbraus de belo horizonteEm abril deste ano, o portal da Revista Encontro noticiou em primeira mão a chegada a Belo Horizonte da primeira filial na América Latina da tradicional cervejaria alemã Hofbräuhaus. Com os jovens empreendedores Bruno Vinhas, Francisco Vidigal e Henrique Rocha à frente do negócio, a "casa que vende cerveja Hofbräu", cuja sede fica em Munique, na Alemanha, deve abrir as portas no dia 23 de novembro.

A Hofbräuhaus possui unidades na Austrália, China e Estados Unidos, e, em BH, a cervejaria está instalada num casa de 1011 m² na avenida do Contorno 7613, no bairro Cidade Jardim, zona centro-sul da capital, ao lado da praça Desembargador Ayrton Maia. O conceito do espaço segue a lógica do brewpub, ou seja, a produção da cerveja se dá no mesmo lugar em que o público pode consumir iguarias da culinária alemã.

Leia também: Três cervejas brasileiras são as melhores do mundo em premiação

publicidade

A cervejaria possui o cardápio típico da região da Baviera, o maior estado da Alemanha, e que faz divisa com a Áustria. O menu foi preparado pelo gastrólogo e chef alemão Rocco Küffner. A produção da cerveja fica sob o comando do mestre cervejeiro mineiro Carlos Henrique Faria de Vasconcelos.

História

A Hofbräuhaus é uma das cervejarias mais famosas e antigas do mundo. Fundada em 1589 pelo duque William V da Baviera, a intenção era deixar de comprar cerveja da região da baixa Saxônia. Apenas em 1828 a cervejaria foi aberta ao público.

A casa é famosa também por ter iniciado a Oktoberfest, a grande festa da cerveja, em 1810, como marco da celebração do casamento do rei Ludwig I da Bavária.

Durante a Segunda Guerra Mundial, toda a estrutura da cervejaria foi destruída num bombardeio em Munique, e foi reconstruída em 1958.


publicidade

Bom Despacho pode ter fábrica de aviões

  • Escrito por G1
  • Categoria: Economia
  • Acessos: 849

aviao modelo g flyO prefeito de Bom Despacho, Fernando Cabral (PPS), enviou nesta segunda-feira (9) à Câmara Municipal, um projeto de lei que prevê a concessão de benefícios para instalação de uma fábrica de aviões na cidade. A empresa beneficiada é a G-Fly Indústria Aeronáutica, especializada em fabricação de monomotores e que possui sede em Barra do Choça, na Bahia.

O Legislativo confirmou o recebimento do projeto e informou que os vereadores deverão ler a proposta durante a reunião desta segunda-feira, para decidirem se ela será ou não colocada em votação. Empresa foi procurada e não atendeu contatos do G1.

Leia também: Nova Serrana é a 10ª cidade que mais gerou empregos no Brasil em 2015

publicidade

De acordo com o projeto, a Prefeitura doará à G-Fly um terreno dentro do Aeroporto Municipal. "A fábrica de avião é um símbolo das grandes conquistas que Bom Despacho está vivendo. É uma indústria limpa, com baixo consumo de energia elétrica e que cria empregos de alta qualificação. Além disto, coloca Bom Despacho em posição de destaque no cenário nacional", disse o prefeito Fernando Cabral.

Ainda de acordo com a Prefeitura de Bom Despacho, por meio de nota, a empresa também deverá atuar também na manutenção de aeronaves. "Isto aumentará o fluxo de pilotos e empresas na cidade e fomentará a economia de restaurantes, hotéis e outros setores", pontuou.

A Câmara de Bom Despacho confirmou o recebimento do projeto e afirmou que ele será apresentado ainda nesta segunda-feira e encaminhado às comissões da Casa, que deverão analisá-lo na quarta-feira (11). Ainda não há previsão de quando ele deverá ser votado.

Nova Serrana é a décima cidade que mais gerou vagas formais no Brasil em 2015 e lidera o ranking mineiro

  • Escrito por O Tempo
  • Categoria: Economia
  • Acessos: 693

Nova SerranaApesar das dificuldades econômicas, cidades do interior do país conseguiram registrar saldo positivo nas vagas com carteira assinada neste ano. Entre as 30 maiores cidades na geração de postos de trabalho, 29 estão no interior do país. Das capitais, apenas Goiânia conseguiu o feito de estar no ranking de criação de vagas. Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), essas 30 cidades registraram 63 mil novos postos de trabalho no intervalo de janeiro a agosto deste ano, enquanto que no mesmo período foram eliminadas no país 573 mil vagas. Nos últimos 12 meses finalizados em agosto, o mercado de trabalho formal no país reduziu 986 mil vagas.

O que ajudou na geração do emprego neste ano foi a agropecuária, que tem destaque em 12 cidades. Todas as cidades mencionadas possuem mais de 30 mil habitantes. A cidade mineira mais bem colocada na geração de vagas no país foi Nova Serrana (região Centro- Oeste). O conhecido polo de produção de calçados ocupou o 10º lugar no país e o 1º no Estado, com 2.168 vagas.

No país, coincidentemente, outra cidade produtora de calçados ocupou a primeira posição, Franca, no interior de São Paulo.

O coordenador do curso de ciências econômicas do Centro Universitário Newton Paiva, Leonardo Bastos Ávila, observou que o impacto da redução da atividade econômica não é sentido com a mesma intensidade nos municípios brasileiros. “Vai depender da relevância de alguns setores na economia das cidades. O fato é que os impactos da crise estão bem espalhados pelos segmentos da economia. O único setor que vem sentindo menos é o agronegócio”, observa.

Estado. Entre as cidades que mais geraram vagas em Minas, algumas tem forte presença do agronegócio, com destaque para a produção de café, como Patrocínio, que ocupou o terceiro lugar entre as cidades que mais criaram vagas no Estado, seguida por Três Pontas. Machado também foi destaque e ocupou o sétimo lugar.

Escola de Princesas chega a BH já causando polêmica nas redes sociais

  • Escrito por Uai
  • Categoria: Economia
  • Acessos: 915

escola de princesasA pedagoda Nathália de Mesquita é idealizadora de um projeto focado em meninas de 4 a 15 anos muito bem-sucedido, mas também controverso, a Escola de Princesas. Seis meses depois que abriu sua primeira unidade, criada em 2013, em Uberlândia, a escola tinha fila de espera. Em 2015, o projeto já tem outras três unidades franqueadas. Uma delas será inaugurada em 22 de outubro em Belo Horizonte, no Bairro Santa Lúcia. As outras duas são em Uberaba e Itatiba (SP) e os planos para 2016 é chegar em todo o Brasil.

Já no ano de sua inauguração, a Escola de Princesas já causara polêmica em razão dos valores tradicionalmente atribuídos às mulheres sob os quais é construída e, consequentemente, por não promover a igualdade entre os gêneros. O site da empresa, diz, por exemplo, que “o passo mais importante na vida de uma mulher, sem dúvida nenhuma, é o matrimônio. Nem mesmo a realização profissional supera as expectativas do sonho de um bom casamento. Enfim, a ideia do ‘felizes para sempre’ é o sonho de toda Princesa”. O conteúdo completo pode ser visto aqui.

Ainda conforme o site da empresa, dois cursos são oferecidos por suas unidades. O Vida de Princesa se divide em 12 módulos e contempla temas como ‘A identidade da princesa’, ‘Os relacionamentos de princesa’, ‘Etiqueta de princesa’, ‘Estética de princesa’, ‘O castelo da princesa’ e ‘De princesa a rainha’.

Em Minas Gerais 13 mil produtores serão beneficiados pelo Programa Leite Saudável

programa leite sustentavelA partir do próximo dia 15 terá início a seleção dos pequenos produtores que serão contemplados pelo Programa Leite Saudável, desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Em Minas Gerais, até 2018, 13 mil produtores rurais de 149 municípios mineiros terão a oportunidade de melhorar a renda e contribuir com o aumento da competitividade do setor lácteo do país.

Serão beneficiados 80 mil produtores Do total de recursos de R$ 387 milhões a serem investidos, serão viabilizados R$ 57 milhões para Minas Gerais, onde o Leite Saudável está sendo implantado com a ajuda da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), por meio de articulações e parcerias institucionais com os setores público e privado. Desse montante, 40% sãos recursos do Mapa e 60% do Sebrae.

Para ser incluída no programa, a propriedade rural tem de produzir no mínimo 50 litros de leite/dia, sendo o máximo desejável de 200 litros/dia. Entre as exigências técnicas estão ainda a sua permanência no Leite Saudável por dois anos, a comprovação de potencial para implementar as melhorias propostas, ter uma estrutura mínima para receber assistência técnica, cursos de gestão e tecnologia, bem como inseminação artificial, e estar inserida nas rotas de comercialização. Buscando elevar os índices de produtividade do rebanho leiteiro, o Mapa e o Sebrae selecionarão agricultores com potencial para adotar práticas de melhoramento genético.

Capacitação

Veja a lista dos deputados que votaram pelo aumento das alíquotas do ICMS em MG

assembleia de minasCom diferença de apenas sete votos favoráveis, o Projeto de Lei 2.817/15 foi aprovado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais na manhã desta terça-feira, em 1° turno. Foram 35 votos a favor e 28 contrários. O texto de autoria do Executivo estabelece aumento nas alíquotas do imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de vários produtos. O PL foi aprovado na forma do substitutivo número 2 que estabelece que os novos percentuais tenham validade entre 1º de janeiro do ano que vem até 31 de dezembro de 2019.

A nova alíquota do ICMS vai incidir sobre produtos considerados supérfluos, como bebidas alcoólicas, cigarros, armas, refrigerantes, ração tipo pet, perfumes e cosméticos, alimentos para atletas, telefones celulares, câmeras fotográficas e de vídeo, equipamentos para pesca esportiva e aparelhos de som e vídeo para uso automotivo, será elevada em dois pontos percentuais, como já prevê o projeto original.

O substitutivo nº 2 mantém a elevação, de 25% para 27%, da alíquota do ICMS sobre serviços de comunicação, como telefonia, internet e TV por assinatura. No caso da energia elétrica para consumidores comerciais, a alíquota do imposto passará de 18% para 25%, até 31 de dezembro de 2019.

Reação

Durante quase toda a manhã desta terça-feira, os parlamentares da oposição ao governo de Fernando Pimentel se revezaram no plenário para obstruir e tentar impedir a votação. Em coro, os parlamentares, que contavam com o apoio de manifestantes que lotaram as galerias, fizeram coro em criticar o texto e ao governador. Segundo os oposicionistas, o projeto contradiz o que foi prometido por Pimentel na época da campanha. “Não vejo na figura de Fernando Pimentel a altura de ser governador dos mineiros”, disse o deputado Sargento Rodrigues. Ainda segundo Rodrigues, todos os produtos do consumo vão aumentar. O deputado ainda criticou os colegas dizendo que é necessário “mais independência”. “Esse pacote de maldades vai afetar dos mais ricos aos mais pobres”, alertou.

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS