Menu
TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com

Escola de Princesas chega a BH já causando polêmica nas redes sociais

  • Escrito por Uai

escola de princesasA pedagoda Nathália de Mesquita é idealizadora de um projeto focado em meninas de 4 a 15 anos muito bem-sucedido, mas também controverso, a Escola de Princesas. Seis meses depois que abriu sua primeira unidade, criada em 2013, em Uberlândia, a escola tinha fila de espera. Em 2015, o projeto já tem outras três unidades franqueadas. Uma delas será inaugurada em 22 de outubro em Belo Horizonte, no Bairro Santa Lúcia. As outras duas são em Uberaba e Itatiba (SP) e os planos para 2016 é chegar em todo o Brasil.

Já no ano de sua inauguração, a Escola de Princesas já causara polêmica em razão dos valores tradicionalmente atribuídos às mulheres sob os quais é construída e, consequentemente, por não promover a igualdade entre os gêneros. O site da empresa, diz, por exemplo, que “o passo mais importante na vida de uma mulher, sem dúvida nenhuma, é o matrimônio. Nem mesmo a realização profissional supera as expectativas do sonho de um bom casamento. Enfim, a ideia do ‘felizes para sempre’ é o sonho de toda Princesa”. O conteúdo completo pode ser visto aqui.

Ainda conforme o site da empresa, dois cursos são oferecidos por suas unidades. O Vida de Princesa se divide em 12 módulos e contempla temas como ‘A identidade da princesa’, ‘Os relacionamentos de princesa’, ‘Etiqueta de princesa’, ‘Estética de princesa’, ‘O castelo da princesa’ e ‘De princesa a rainha’.

Em Minas Gerais 13 mil produtores serão beneficiados pelo Programa Leite Saudável

  • Escrito por Hoje em Dia

programa leite sustentavelA partir do próximo dia 15 terá início a seleção dos pequenos produtores que serão contemplados pelo Programa Leite Saudável, desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Em Minas Gerais, até 2018, 13 mil produtores rurais de 149 municípios mineiros terão a oportunidade de melhorar a renda e contribuir com o aumento da competitividade do setor lácteo do país.

Serão beneficiados 80 mil produtores Do total de recursos de R$ 387 milhões a serem investidos, serão viabilizados R$ 57 milhões para Minas Gerais, onde o Leite Saudável está sendo implantado com a ajuda da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), por meio de articulações e parcerias institucionais com os setores público e privado. Desse montante, 40% sãos recursos do Mapa e 60% do Sebrae.

Para ser incluída no programa, a propriedade rural tem de produzir no mínimo 50 litros de leite/dia, sendo o máximo desejável de 200 litros/dia. Entre as exigências técnicas estão ainda a sua permanência no Leite Saudável por dois anos, a comprovação de potencial para implementar as melhorias propostas, ter uma estrutura mínima para receber assistência técnica, cursos de gestão e tecnologia, bem como inseminação artificial, e estar inserida nas rotas de comercialização. Buscando elevar os índices de produtividade do rebanho leiteiro, o Mapa e o Sebrae selecionarão agricultores com potencial para adotar práticas de melhoramento genético.

Capacitação

Veja a lista dos deputados que votaram pelo aumento das alíquotas do ICMS em MG

  • Escrito por Estado de Minas

assembleia de minasCom diferença de apenas sete votos favoráveis, o Projeto de Lei 2.817/15 foi aprovado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais na manhã desta terça-feira, em 1° turno. Foram 35 votos a favor e 28 contrários. O texto de autoria do Executivo estabelece aumento nas alíquotas do imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de vários produtos. O PL foi aprovado na forma do substitutivo número 2 que estabelece que os novos percentuais tenham validade entre 1º de janeiro do ano que vem até 31 de dezembro de 2019.

A nova alíquota do ICMS vai incidir sobre produtos considerados supérfluos, como bebidas alcoólicas, cigarros, armas, refrigerantes, ração tipo pet, perfumes e cosméticos, alimentos para atletas, telefones celulares, câmeras fotográficas e de vídeo, equipamentos para pesca esportiva e aparelhos de som e vídeo para uso automotivo, será elevada em dois pontos percentuais, como já prevê o projeto original.

O substitutivo nº 2 mantém a elevação, de 25% para 27%, da alíquota do ICMS sobre serviços de comunicação, como telefonia, internet e TV por assinatura. No caso da energia elétrica para consumidores comerciais, a alíquota do imposto passará de 18% para 25%, até 31 de dezembro de 2019.

Reação

Durante quase toda a manhã desta terça-feira, os parlamentares da oposição ao governo de Fernando Pimentel se revezaram no plenário para obstruir e tentar impedir a votação. Em coro, os parlamentares, que contavam com o apoio de manifestantes que lotaram as galerias, fizeram coro em criticar o texto e ao governador. Segundo os oposicionistas, o projeto contradiz o que foi prometido por Pimentel na época da campanha. “Não vejo na figura de Fernando Pimentel a altura de ser governador dos mineiros”, disse o deputado Sargento Rodrigues. Ainda segundo Rodrigues, todos os produtos do consumo vão aumentar. O deputado ainda criticou os colegas dizendo que é necessário “mais independência”. “Esse pacote de maldades vai afetar dos mais ricos aos mais pobres”, alertou.

Lâmpadas de LED em semáforos gera economia de 85% no consumo de energia

  • Escrito por Hoje em Dia
Semáforo de LED

sinal ledA susbtituição de lâmpadas incandescentes por LED, em todos os semáforos de Belo Horizonte, representou uma economia de 85% para a cidade. O projeto visa racionalizar o uso de energia elétrica e proporcionar mais segurança aos pedestres e motoristas nas operações de trânsito, além de otimizar os gastos com manutenção, devido a durabilidade do equipamento.

O projeto também apresentou resultados positivos em relação ao que é chamado de "efeito fantasma", fenômeno ocorrido quando a luz solar incide diretamente sobre o semáforo, dificultando a distinção da cor acesa.

Este foi um dos projetos que colocou a capital mineira no 1º lugar da categoria “Meio Ambiente” do prêmio Connected Smart Cities – Cidades Inteligentes do Brasil.


publicidade

Em déficit, governo eleva folha em R$ 3,3 mi com nomeações

  • Escrito por O Tempo

secretario planejamento de minas geraisQuinze dias após avisar que não iria conceder reajustes nem nomear concursados ou comissionados neste ano, o governo de Minas concedeu um total de 118 novas nomeações, gratificações e designações a servidores com cargos comissionados do Estado. O impacto será de quase R$ 3,3 milhões por ano na forlha de pagamento.

O fato contrasta com a situação dos cofres de Minas. Segundo o secretário de Planejamento e Gestão (Seplag), Helvécio Magalhães, o Estado deve fechar o ano com déficit de R$ 10 bilhões. A decisão de interromper as contratações foi justificada por Magalhães para conter as despesas do Estado com pessoal, que atingiram o limite prudencial para esse tipo de gasto previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O sinal de alerta é aceso ao bater os 46,55% da receita corrente líquida. Minas, segundo ele, atingiu 46,6%.

Leia também: Concursos já autorizados estão mantidos, diz Ministério do Planejamento

No entanto, mesmo após o recado – que desagradou parte do funcionalismo e de concursados –, a Imprensa Oficial de Minas Gerais (IOF) continuou a publicar normalmente nomeações de diversos novos funcionários, inclusive com cargos de remuneração mais alta, como o DAD-11, que corresponde a um salário de R$ 8.500. Além disso, muitas gratificações, que chegam a R$ 1.000, também foram dadas a servidores da ativa. “Nenhuma dessas nomeações teve exoneração correspondente, o que reforça o peso extra na folha de pagamento do Estado”, explicou uma fonte com trânsito na Seplag.

Em meio às nomeações e gratificações, o governador Fernando Pimentel (PT) admitiu, na última quinta-feira, que pode enviar para a Assembleia uma nova proposta de corte de gastos.

Azul anuncia nova linha ligando Minas a Bahia

  • Escrito por Portal Centro Oeste

aeronave atr azul linhasaereasA Azul Linhas Aéreas Brasileiras lançará voos sem escalas entre Lençóis e Belo Horizonte (Confins) em 5 de novembro. A companhia operará duas frequências semanais – às quintas-feiras e aos domingos – em sua mais nova rota, e transportará os Clientes nos modernos turboélices ATR 72-600, de 70 assentos. A novidade passa por aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e expandirá as opções de conexão aos Clientes baianos para mais de 40 cidades, entre domésticas e internacionais.

“A conectividade é um dos principais ganhos com a operação desta nova rota. As ligações entre Lençóis e Confins permitirão aos Clientes do interior baiano chegar a todo o Brasil e ao exterior a partir do nosso segundo maior hub. Igualmente, facilitaremos o acesso à Chapada Diamantina, ponto turístico muito procurado em âmbito nacional, além de fomentarmos os negócios entre ambas as regiões”, afirma Marcelo Bento, diretor de Planejamento e Alianças da Azul.

Leia também: Movimento em aeroporto de Divinópolis cresce após nova linha aérea

publicidade

Ainda, como parte do reforço de suas operações na Bahia, a Azul está comercializando passagens para sua nova rota, entre Barreiras e Confins, que começa em 14 de setembro, por meio de todos os seus canais de venda. Além disso, em novembro, os Clientes de Lençóis e Barreiras poderão conectar-se a Orlando, nos Estados Unidos, com apenas uma parada em Confins.

A capital mineira é o segundo maior centro de operações da Azul, atrás apenas de Campinas. A companhia opera mais de 60 voos diários com partida de Confins. A Azul é líder na oferta de voos e destinos sem escalas no terminal da região metropolitana de Belo Horizonte.

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS