Menu
TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com

2016 vai começar com ICMS mais alto em Minas

  • Escrito por O Tempo
  • Categoria: Economia
  • Acessos: 1186

calculadora financeira 03O mineiro vai começar 2016 com aumento da carga tributária. É que, a partir do dia 1º de janeiro, a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de mais de 160 produtos vai subir. E os impactos da medida não são positivos, segundo o coordenador do curso de ciências econômicas do Centro Universitário Newton Paiva, Leonardo Bastos Ávila.

Para ele, aumento de tributos – ainda mais num cenário de inflação – e desemprego elevado significam empobrecimento da população. “Com imposto mais alto, o consumidor vai precisar de mais dinheiro para comprar um produto ou pagar por um serviço. Assim, ele fica mais pobre, pois sua renda é reduzida”, observa.

O aumento do ICMS em Minas Gerais é fruto de duas medidas. A primeira é resultado da sanção, pelo governador Fernando Pimentel, da Lei 21.781, que elevou a carga tributária sobre produtos considerados supérfluos. A norma teve origem no Projeto de Lei (PL) 2.817/15, de autoria do chefe do executivo mineiro, aprovado em votações tumultuadas e com placares apertados nos dois turnos, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais em 30 setembro deste ano.

Leia também: Economista dá uma "aula de economia" em resposta a Tico Santa Cruz

A lei aumentou em dois pontos percentuais o ICMS de produtos como refrigerantes, ração tipo pet, telefones celulares, câmeras fotográficas e de vídeo, perfumes e cosméticos (com exceção de xampu, sabonete e filtro solar). A maior parte das alíquotas variam entre 14% e 27%. E a alíquota do ICMS sobre as bebidas alcoólicas (com exceção da cachaça) vai variar entre 25% e 32%.

Mais de 500 mil se mobilizam na internet contra fim do Uber em BH

  • Escrito por O Tempo
  • Categoria: Economia
  • Acessos: 621

motorista do uberMais de 500 mil belo-horizontinos se mobilizaram na internet, nesta quarta-feira (9), para pedir a manutenção do aplicativo Uber na capital. A ação foi promovida em resposta ao Projeto de Lei 1797/15, que tramita na Câmara Municipal e que teve parecer favorável na Comissão de Legislação e Justiça da Casa, no dia 2 de dezembro deste ano.

Na manhã desta quarta, foram enviados e-mails aos belo-horizontinos que diziam: "No dia 12 de dezembro Belo Horizonte completará 118 anos. E você sabe qual pode ser o presente da Câmara Municipal para a cidade? Retrocesso".

Leia também: Sucesso na Europa da crise, chega ao Brasil BlaBlaCar, o “Uber da carona”

O texto da Câmara Municipal prevê a criação de uma categoria premium de táxi, onde apenas pessoas jurídicas credenciadas poderão cadastrar motoristas exclusivamente licenciados pela BHTrans.

O texto também estabelece que esses motoristas cadastrados atendam apenas corridas iniciadas em Belo Horizonte ou em cidade conveniada. Conforme o documento, o descumprimento dessas e de outras normas acarretaria em multa de R$ 30 mil ao administrador do serviço.


publicidade

Nova Serrana terá concurso público para preencher vagas na Prefeitura

concurso correiosComeçou nesta segunda-feira (30), as inscrições para o concurso público da Prefeitura de Nova Serrana. São 1.238 vagas em diversas áreas, nos níveis superior, médio e fundamental, com salários de R$788 a R$2.940. O edital completo, assim como os planos de carreira está disponível no site da prefeitura.

A inscrição deverá ser feita pelo site www.ibfc.org.br, de 30 de novembro a 29 de dezembro de 2015. As taxas de inscrição variam entre R$35 e R$100. As provas serão realizadas no dia 31 de janeiro de 2016.

Mais informações, o edital completo e os planos de carreira estão disponíveis no linkhttp://goo.gl/v0Oue0.

Banner Unir Consultoria Imobiliária

Minas terá a maior planta de energia solar do continente

  • Escrito por O Tempo
  • Categoria: Economia
  • Acessos: 916

painel solar desenvolvido em belo horizonteMinas Gerais terá, nos próximos três anos, a maior planta de energia solar da América Latina em Pirapora, no Norte do Estado. A empresa Sunew, inaugurada há menos de um mês na capital mineira, é a única do país – e das Américas – a produzir células fotovoltaicas em material flexível em vez de placas rígidas. A célula é o dispositivo que capta a luz do sol e a transforma em energia elétrica.

A espanhola Solatio Energia é a maior investidora em energia solar do país. No último leilão de energia de reserva de 2015, realizado neste mês pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a empresa investiu R$ 600 milhões na ampliação da capacidade do projeto da usina geradora de Pirapora. Somando esse valor ao que já investiu antes, a Solatio terá aplicado no empreendimento, que deve começar a gerar energia em 2018, mais de R$ 1,3 bilhão. A usina de Pirapora atingiu, com esse crescimento, uma capacidade de produção de 240 megawatts (MW).

Outro investimento que pode ser feito no Estado é a instalação de uma usina de energia fotovoltaica. A Cemig divulgou em agosto interesse em investir R$ 4 bilhões no projeto. “A Efficientia (empresa da Cemig) atua em projetos de geração distribuídas com fotovoltaica, como os condomínios em associação com o grupo Algar, em Uberlândia, e, na UniverCemig, a viabilização da conexão de usina solares à rede de empresas vencedoras do leilão de energia renovável”, diz o presidente da Efficientia, Alexandre Heringer.

Estado admite que pode não pagar piso aos professores em 2016

  • Escrito por O Tempo
  • Categoria: Economia
  • Acessos: 1397

greve professoresO governo do Estado pode não honrar o acordo com os professores e não aplicar o piso nacional da categoria, previsto a partir de janeiro do próximo ano. O motivo é o limite constitucional com gastos com o funcionalismo. O alerta foi feito pelo secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplag), Wieland Silberschneider, em uma audiência pública da na Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG) na última quinta-feira (19).

Diante da possibilidade, a presidente do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-Ute) e presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-MG), Beatriz da Silva Cerqueira, avisou que o problema pode significar “que o ano letivo não vai começar”.

Wieland explicou que o governo já atingiu o limite prudencial imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal por comprometer, já desde setembro, 48,7% do orçamento com pagamento de pessoal. Caso atinja 49% - o que ele calcula que alcançará em dezembro -, o Estado fica impedido de conceder aumentos. “O governo pactuou esse compromisso (seguir o aumento do piso nacional) e vamos ter que discutir em termos legais como enfrentar esta situação, caso ela se confirme”, disse ele sobre a previsão de reajuste do salário da categoria. Durante a reunião, Beatriz Cerqueira havia advertido para a estimativa de um aumento de quase 12% no piso nacional.

A sindicalista avisou ao secretário-adjunto que o pacto assinado com o governo pelos professores, só foi assinado em função do conjunto de propostas. “Parte desse conjunto não pode ser rompida. É preciso se pensar para não chegar em janeiro e nos depararmos com a ruptura do acordo” - afirmou. O deputado Rogério Correia (PT) disse que o entendimento da legislação é clara: “o reajiuste do piso nacional deverá ser aplicado aos professores”.

publicidade

Além do aumento dos professores, segundo Wieland o Executivo está com dificuldades de garantir o pagamento do 13º para os servidores. Ele disse que a dificuldade econômica do Estado é fruto de herança deixada pelo governo anterior. Lembrou que a aprovação tardia do orçamento, apenas em abril, também foi outro fator que complicou a disponibilidade de recursos. “Foi um ano atípico”, justificou.

O secretário-adjunto disse que o governo está comprometido com o que foi acordado com os professores. Garante a nomeação de 60 mil concursados ao longo dos quatro anos de mandato e está avaliando a possibilidade de incrementar esses números para ampliar o número de efetivos. Essa foi uma das demandas apresentadas pelos participantes da audiência pública, cuja finalidade foi fazer um balanço sobre o que já foi implementado do que foi acordado em negociações realizadas de março a maio.

Em nota, a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) afirmou que o governo está comprometido com o que foi acordado com os professores e está atuando para criar as condições financeiras legais para garantir o reajuste dos salários dos professores de acordo com piso nacional da categoria. “Em razão do Estado de Minas Gerais ter atingido o limite prudencial imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal, a Lei estabelece diversas restrições para novas concessões de aumentos. Gestores e técnicos das secretarias de Planejamento e Gestão, Fazenda, Educação e Casa Civil já estudam alternativas para solucionar o problema”, informou.


publicidade

Rede MartMinas de Divinópolis vai abrir 4 lojas em 2016

  • Escrito por O Tempo
  • Categoria: Economia
  • Acessos: 1356

felipi martins do martminasCom 17 lojas do tipo atacarejo – aquela que vende tanto no atacado quanto para o consumidor final – a rede mineira Mart Minas, nascida em Divinópolis, continua com o plano de expansão mesmo em tempos de economia adversa no país. “São mais quatro unidades para o ano que vem – Uberaba, Pouso Alegre e tem mais duas unidades que ainda não divulgamos as cidades”, conta o diretor comercial do Mart Minas, Filipe Martins. Como são necessários de 130 a 140 empregados por loja, Martins calcula que serão contratados entre 400 e 500 funcionários com esses novos pontos. Eles vão fazer parte de um quadro que já tem 2.500 colaboradores.

Neste ano, a empresa abriu mais dois espaços no Triângulo Mineiro – um em Araguari e um segundo em Uberlândia. São unidades com 5.000 m² e 6.000 m² de área de vendas. “Cada uma tem 10 mil itens, e as outras são do mesmo padrão. É uma loja grande, boa para o segmento”, explica o executivo, que participou da Superminas, evento da Associação Mineira de Supermercados (Amis), que aconteceu no Expominas, em BH.

Leia também: Conheça Ricardo Nunes, o dono da Ricardo Eletro

Planos para crescer. A capilaridade do negócio é parte frequente da estratégia da empresa para crescer. “Nos últimos quatro anos, tivemos uma média anual de abertura de três a quatro lojas e queremos manter essa média para os próximos anos”, avisa Martins.

Supermercado

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS