Menu
TwitterFacebookPinterestGoogle+

feed-image Siga o DiviCity.com

TUDO SOBRE MARIANA

  • Em Mariana, menina de 5 anos foi arrancada do colo do pai pela lama

    menina morta em marianaEmanuelly, de 5 anos, escapou dos braços do pai, Wesley Izabel, de 23, e sumiu na lama que cobriu o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (a 124 km de Belo Horizonte), após o rompimento de duas barragens da mineradora Samarco, nesta quinta-feira (5).

    Desde o desaparecimento da menina, a família espalhou cartazes pelo centro de acolhida dos desabrigados e hospitais com foto da menina e telefones de contato de parentes. Wesley estava com a menina e o outro filho, Nicolas Izabel, de 3 anos, na casa onde morava quando recebeu o aviso para fugir para uma parte alta da comunidade e escapar do mar de lama. A mãe das crianças já havia sido socorrida por vizinhos.

    publicidade

    O pai agarrou as duas crianças e atravessava a rua quando foi atingido pela lama. Vizinhos conseguiram puxar Wesley e Nicolas, mas Emanuelly se perdeu. O pai está internado no hospital Santa Bárbara com fratura nas pernas. Já o garoto segue no Hospital de Pronto-Socorro João XXII, em Belo Horizonte, sob tratamento - ele está com água nos pulmões - como conta a tia Débora Monteiro da Silva, 23.

  • Até quando as barragens vão se romper?

    tragedia bento rodrigues mariana 02 Um ditado (piada na verdade) popular diz que Deus ao criar o mundo colocou um pouco do que Ele tinha de melhor e de pior em cada região do mundo. Os americanos seriam os mais inteligentes e ricos, mas ao mesmo tempo sofreriam com catástrofes climáticas como tornados e furacões. Os europeus teriam toda a riqueza cultural e os grandes mestres em diversas áreas, mas sofreriam com as guerras e suas mazelas. E o Brasil teria as mais belas praias, a maior floresta, a maior bacia hidrográfica, mas em contrapartida um povinho...

    Deixando de lado a brincadeira não podemos negar que esse ditado tem um fundo de verdade e quanto mais vivencio certas situações mais me vejo tendencioso a acreditar que o fim está cada dia mais distante. Infelizmente.

    Não vou falar de Lula, Dilma e da corja PTista que já citei no post Eu votei no PT e fui trapaceado, não vou falar do cinismo descarado que o Presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha vem debochando em rede nacional da inteligência de todos nós. Vou falar de uma regra institucionalizada no Brasil que é a famosa LEI DE GERSON e que muito me envergonha.

    O que ocorreu essa semana em Mariana não é um fato isolado ou uma fatalidade, é sim um ato criminoso de pessoas que querem levar vantagem em tudo. Pode até ser que nos próximos dias viemos descobrir que a verdadeira causa da tragédia tenha sido realmente um abalo sísmico (já há geólogos dizendo isso). Mas não poderíamos prevê-lo? Em uma rápida pesquisa pelo Google usando as palavras: barragem rompe 2014 (clique aqui para ver o resultado) encontrei três casos semelhantes, um em Arvoredo (SC), outro em Jari (AP) e o terceiro em Várzea Alegre no Ceará. Então, o que foi feito com as demais barragens no Brasil desde então? O que aprendemos com esses acidentes? NADA!

  • Samarco diz, agora, que reforçará nova barragem em risco em Minas

    barragem da samarco em mariana

    Quase uma semana após o rompimento de duas barragens na região de Mariana, a mineradora Samarco informou que a barragem Germano, localizada no mesmo complexo, requer um reforço estrutural, aumentando o temor de um novo capítulo na tragédia. Segundo a mineradora, a medida é necessária para aumentar a segurança de uma das paredes.

    A barragem Germano fica acima da Santarém e Fundão, de responsabilidade da empresa controlada pela Vale e pela australiana BHP que se romperam na última quinta-feira e causaram a tragédia. Ao menos 8 corpos foram encontrados na região do desastre até o momento, ao menos 6 deles já foram identificados. Ainda há 19 desaparecidos.

    "As estruturas estão estáveis, mas é preciso reforçar a segurança das paredes. Estamos monitorando os muros, instalamos radares de alta potência e temos uma sala com imagens em tempo real", disse o presidente da mineradora, Ricardo Vescovi, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira. Ele não confirmou que haja trincas na barragem.

    Por causa das intervenções que são feitas na mina, o perímetro de segurança para o acesso ao distrito de Bento Rodrigues foi ampliado. O isolamento que antes era de um raio de 3 km, a partir da localidade arrasada pelo tsunami de lama, passou para 10km.

    Licenças vencidas

  • Vale doa 240 mil litros de água com teor de querosene a população de Governador Valadares

    agua mineral contaminadaA Prefeitura de Governador Valadares (MG) informou, no fim da tarde desta sexta-feira (13), que precisou descartar todos os 240 mil litros de água entregues pela Vale para serem distribuídos aos moradores da cidade. Segundo a administração, o primeiro carregamento chegou com alto teor de querosene.

    A água seria distribuída entre os moradores da cidade, que estão sem abstecimento por causa da enxurrada de lama que atingiu o Rio Doce. Os rejeitos chegaram até a cidade pelo rio, após o rompimento de duas barragens da mineradora Samarco, que pertence a Vale e a anglo-australiana BHP Billiton, em Mariana (MG).

    Leia também: Samarco diz, agora, que reforçará nova barragem em risco em Minas

    Em coletiva realizada mais cedo, o responsável pelas Relações Institucionais da Vale, Henrique Lobo, afirmou que a empresa tinha entregue 500 mil litros de água mineral para o município. Porém, segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, apenas quatro vagões com capacidade para 60 mil litros cada um foram entregues – totalizando 240 mil litros.

    Querosene

  • Bombeiros se guiam por urubus e cães para achar corpos em lama de MG

    bombeiros em marianaO capitão Vinicius Oliveira, 43, acorda às 5h e, uma hora depois, chega ao vilarejo de Bento Rodrigues, onde só é possível ver lama, telhados, caixas-d'água, carros abandonados e pedaços do que já foi a casa de alguém.

    Durante todo o dia, Vinicius vai e volta de helicóptero levando mantimentos, equipamentos e novas ordens a 40 homens sob seu comando.

    O capitão também fica atento a concentrações de urubus e latidos de cães da vizinhança, que ajudam a guiar sua equipe no resgate dos corpos de vítimas do rompimento de duas barragens da mineradora Samarco.

    Em uma área previamente mapeada por GPS, os bombeiros iniciam as escavações. Eles põem madeirites sobre o chão para não afundar e andam lentamente. Aí fazem buracos na lama com canos de PVC, os chamados "tubos de odor", para que cães farejadores percebam se há sinal de corpos em decomposição. Em caso positivo, começam a escavar.

    Leia também: O que deveríamos aprender com a Romênia

    Com 14 anos de experiência na Polícia Militar, Vinicius, subcomandante do batalhão de emergência enviado de Belo Horizonte a Bento Rodrigues, a 124 km da capital mineira, diz que o cansaço não é nada perto do desespero de ouvir pais pedindo que localizem os corpos de seus filhos –ainda há três crianças desaparecidas.

    publicidade

    "Eu tenho dois filhos, um casal, e ouvir pais pedindo para achar corpos de crianças de cinco ou sete anos é difícil. Muito", resume.

    Sua família ficou em Belo Horizonte e ele só volta para casa uma vez por semana. E o capitão sabe que não tem previsão de quando concluirá o trabalho em Bento Rodrigues.

    Para ele, o trabalho feito desde o dia do desastre só é comparado à época em que atuava para conter rebeliões com presos armados. As decisões, compara, têm que ser tomadas rapidamente e de forma estratégica para que o resgate de moradores, ou reféns, não seja colocado em risco.

    Até segunda-feira (9), os bombeiros apenas sobrevoavam a área, de helicóptero, ou enviavam drones à procura de sinais de vida. Também entravam nas áreas mais seguras, nas bordas dos locais atingidos pela lama. "Não tínhamos piso para trabalhar. Tínhamos que esperar a água fluir, ou afundaríamos", diz.

    Depois, quando o terreno ficou um pouco mais firme, passaram a usar cordas e bastões para caminhar na lama. Além de pessoas, eles resgatam animais perdidos.

    Desde terça (10), a estabilidade da região foi abalada por outro risco: o desmoronamento de trecho de uma barragem que não foi rompida, a Germano, localizada ao lado de onde o desastre aconteceu. Técnicos tentam reforçar a barragem para não haver outro vazamento. Abaixo dela, os bombeiros trabalham.

    A corporação calcula ter resgatado 250 pessoas no dia da tragédia. Em média, 40 soldados passam o dia em Bento Rodrigues e outros 60 fazem as buscas nos rios das cidades atingidas. A maioria dos corpos foi encontrada a quilômetros de distância.

    As buscas se encerram antes das 18h, mas depois o comando ainda se reúne para decidir os próximos passos. Há trocas de pessoas ao menos a cada sete dias.

    "Estou dormindo quatro horas por dia, quando durmo", diz Vinicius. Ele e a equipe ficam acampados na sede da mineradora Samarco, no meio do caminho entre a sede de Mariana e Bento Rodrigues.

    Banner Unir Consultoria Imobiliária

  • Onda de lama se espalhará e atingirá 10 Mil quilômetros de litoral

    mapa lama samarcoPelo menos é o que diz o biólogo diretor da Estação Biologia Marinha Ruschi, André Ruschi. Segundo ele, já é possível prever os danos ambientais causados pela lama tóxica. O biólogo fez uma publicação em sua página na rede social, explicando “assim que chegar ao mar, a lama deve atingir cerca de 10 mil quilômetros quadrados do litoral capixaba.” “A sopa de lama tóxica que desce no Rio Doce e descerá por alguns anos toda vez que houverem chuvas fortes, irá para a região litorânea do ES, espalhando-se por uns 3.000 quilômetros quadrados no litoral norte e uns 7000 quilômetros quadrados no litoral ao sul”, escreveu o biólogo na rede social.

    Tão preocupante quanto, o biólogo afirma que a lama atingirá, também, três unidades de conservação ambiental (UCs): Comboios, Costa das Algas e Santa Cruz. Juntas, as reservas somariam 200 mil hectares no mar. “Santa Cruz é um dos mais importantes criadouros marinhos do Oceano Atlântico. Um hectare de criadouro marinho equivale a 100 hectares de floresta tropical primária. Isto significa que o impacto no mar equivale a uma descarga tóxica que contaminaria uma área terrestre de 20 milhões de hectares ou 200 mil km2 de floresta tropical primária”, afirma.

    publicidade

    Leia também: Bombeiros se guiam por urubus e cães para achar corpos em lama de MG

    André ainda afirma que as consequências ambientais da tragédia podem reverberar por décadas. “Os minerais mais tóxicos e que estão em pequenas quantidades na massa total da lama, aparecerão concentrados na cadeia alimentar por muitos anos, talvez uns 100 anos”, completou. 

  • Samarco: Vítimas do rompimento receberão salário mínimo e cesta básica

    lama rio doceAs cerca de 250 famílias de subdistritos de Mariana que tiveram as casas atingidas pela lama do rompimento de barragens, no último dia 5 de novembro, vão receber da mineradora Samarco um salário mínimo e 20% do valor por dependente, além de cesta básica, como ajuda temporária. O valor não tem relação com indenizações que ainda serão pagas.

    O montante, porém, já é considerado insuficiente pelo Ministério Público Estadual para o perfil de algumas famílias. Nestes casos, o órgão estuda propor um aumento do subsídio - de 30% ou 40% por dependente (menores de idade e idosos).

    O auxílio terá de ser custeado pela mineradora Samarco, que pertence à Vale e à anglo-australiana BHP Billiton, responsável pelas barragens que se romperam. Sete mortos foram identificados e há 12 desaparecidos - quatro corpos aguardam reconhecimento.

    Leia também: Samarco diz, agora, que reforçará nova barragem em risco em Minas

    O pagamento de salário e cesta básica atende a uma requisição do Ministério Público. Segundo o promotor Guilherme de Sá Meneghin, os valores foram definidos pela Samarco, mas, assim que começarem a ser pagos, técnicos da Promotoria vão avaliar com as vítimas se o recurso é adequado para o padrão de vida das famílias antes da tragédia.

  • Artistas fazem show no dia 8 de dezembro no Mineirão em prol das vítimas da tragédia da Samarco

    caetano velosoNo próximo 8 de dezembro, Dia de Imaculada Conceição, e que é feriado em Belo Horizonte, vários artistas vão se mobilizar para prestar solidariedade às vítimas da tragédia da barragem da Samarco.

    O cantor e compositor baiano Caetano Veloso, a banda mineira Jota Quest e o rapper paulista Criolo são alguns dos nomes confirmados para o show que vai acontecer na Esplanada do Mineirão.

    Segundo o cantor Rogério Flausino, o formato do evento ainda não foi definido, mas a intenção é não apenas prestar auxílio às cidades mineiras e capixadas atingidas pela lama, mas também conscientizar. "O que aconteceu é muito sério e a gente quer ajudar de alguma forma. E não apenas falar desse acidente, mas até tentar encontrar soluções para que não aconteça mais nenhum", destacou em entrevista ao Estado de Minas. 


    publicidade

  • Em show Pearl Jam pede punição aos culpados por Mariana e doa cachê as vítimas

    eddie pearl jam em belo horizonteA banda Pearl Jam fez um show histórico na noite desta sexta-feira (20), em Belo Horizonte. No meio do show, o vocalista Eddie Vedder disse que os responsáveis pelo desastre em Mariana, após o rompimento da Barragem de Fundão, devem ser "duramente punidos e cada vez mais punidos".

    O vocalista parou o show e discursou em português contra empresas que exploram o meio ambiente. "Acidentes tiram vidas e destróem rios. E ainda assim eles conseguiram lucrar. Esperamos que eles sejam punidos, duramente punidos e cada vez mais punidos. Para que nunca esqueçam o triste desastre causado por eles", disse Vedder, sendo ovacionado pelo público.

    Eddie Vedder disse, no palco, que o cachê da banda será doado às vítimas de Mariana. A banda também disse que tem planos de criar um fundo de assistência aos atingidos pelo desastre. O G1 tentou contato com a assessoria de imprensa da turnê do Pearl Jam no Brasil, mas não teve sucesso. A Prefeitura de Mariana disse que ainda não recebeu contato da banda a respeito desta doação. A Samarco, cujas donas são a Vale e a anglo-australiana BHP, disse que respeita o direito à manifestação.

    publicidade

    Este foi o primeiro show da banda norte-americana no Mineirão. Dezenas de milhares de pessoas foram ao estádio assistir ao show, mesmo debaixo de chuva.

    Logo após o manifesto, a banda tocou "Do the evolution", uma música que fala da ganância humana pela evolução da espécie. Em uma das estrofes, a letra diz "Esta terra é minha / esta terra é livre / Eu faço o que eu quiser, mas irresponsavelmente / É a evolução, querida".

    A barragem de Fundão, da mineradora Samarco, foi rompida no dia 5 de novembro, destruindo o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, e afetando Águas Claras, Ponte do Gama, Paracatu e Pedras, além das cidades de Barra Longa e Rio Doce. Os rejeitos também atingiram dezenas de cidades na Região Leste de Minas Gerais e no Espírito Santo. Oito corpos foram identificados e quatro aguardam reconhecimento. Onze pessoas estão desaparecidas, dentre elas oito trabalhadores e três moradores da região.

    Leia também: Artistas fazem show no dia 8 de dezembro no Mineirão em prol das vítimas da tragédia da Samarco

    Atentados em Paris

    O show ainda falou sobre os atentados em Paris, no dia 13 de novembro. Pearl Jam tocou "I want you so hard", da banda Eagles of Death Metal, que se apresentava na casa de shows Bataclan, um dos alvos dos terroristas na capital francesa. Mais de 80 pessoas foram mortas por atiradores neste local. O show foi interrompido e a banda decidiu cancelar sua turnê europeia, segundo informou a organizadora de seus show na Alemanha. Ao todo, 130 pessoas morreram nos atentados de Paris.


    publicidade

  • Parlamento suíço aprova resolução para punir a Vale

    tragedia mariana droneO desastre ambiental em Mariana (MG) pode ter um impacto para as contas da Vale, acionista da Samarco. Nesta semana, o Parlamento da região de Vaud, na Suíça, aprovou uma resolução para impedir que a mineradora possa deduzir de seus impostos a reparações que terá de pagar pelo acidente no Brasil.

    A Vale, acionista tem sua sede financeira internacional na cidade de Saint-Prex, na Suíça, e se beneficia de um acordo fiscal que permite uma forte redução dos impostos cobrados sobre a mineradora.

    Proposto pelo deputado ecologista Raphaël Mahaim, a resolução foi aprovada por 67 votos a favor contra 66 contra, com três abstenções.

    Leia também: Até quando as barragens vão se romper?

    A Vale conta com um acordo de exoneração fiscal que vai até o final do ano. “A Vale repatria para a Suíça seus lucros obtidos no exterior. Não podemos permitir que ela possa otimizar seu cálculo fiscal deduzindo as multas”, disse.

  • Idosa diz que Samarco exigiu laudo médico para comprar lavadora danificada

    desastre samarcoApós perderem quase tudo na maior tragédia ambiental da história do país, um casal de idosos foi surpreendido ao solicitar que a indenização paga pela Samarco incluísse a máquina de lavar roupas que ficou danificada no tsunami de lama: a mineradora exigiu uma "prova" de que a idosa não conseguia "torcer a roupa" antes de autorizar a compra do eletrodoméstico.

    Teófila Siqueira Pereira Romualdo, 69, a dona Cenita, e seu marido, o motorista de caminhão aposentado Francisco Marcelino Romualdo, 71, moram em uma casa de cinco cômodos no bairro do Morro Vermelho, em Barra Longa (MG).

    Ele teve um AVC (acidente vascular cerebral) em 2006 e tem dificuldades para movimentar o braço esquerdo. Ela, no início da década de 2000, recebeu o diagnóstico de osteoporose.

    Na madrugada de 6 de novembro, o casal estava dormindo quando começou o zum zum zum na cidade: a lama estava chegando. "Era mais de meia-noite quando a vizinha veio nos chamar para dizer que a enchente estava chegando", lembra Romualdo.

    "Por volta de 4h, fui para a beira do rio do Carmo. Aí eu gritei: Cenita, isso não é água, é lama."

    Leia também: Até quando as barragens vão se romper?

    A lama chegou rápido e forte a Barra Longa naquela madrugada. O município de 6.200 habitantes, distante 60 quilômetros de Mariana e 172 quilômetros de Belo Horizonte, foi tomado pelo rejeito de pelotas de minério de ferro da barragem Fundão, da mineradora Samarco (uma joint venture da Vale com a empresa anglo-australiana BHP), e ficou parcialmente destruído.

    Muitas residências foram tomadas pela lama. Na casa de Cenita e Romualdo, muita coisa ficou inutilizável, além da máquina de lavar.

    Pedido do laudo médico

  • Lama da Samarco deixa mais três praias interditadas em Linhares, ES

    praia espirito santoAs praias de Pontal do Ipiranga, Degredo e Barra Seca, em Linhares, no Norte do Espírito Santo, foram interditadas pela Secretaria de Meio Ambiente do município, nesta quarta-feira (6), após a chegada da lama de rejeitos da Samarco.

    O rompimento das barragens de Mariana, em Minas Gerais, completou dois meses nesta terça-feira (5). De acordo com a última medição feita pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema), nesta segunda-feira (4), a lama se estendia por 66,7 km² no mar do Espírito Santo.

    publicidade

    A prefeitura informou que monitora a turbidez da água do mar na costa linharense desde a chegada da lama de rejeitos, no dia 20 de novembro, e detectou uma mudança rápida nos níveis nos últimos dias.

    Enquanto no dia 25 de dezembro a turbidez do mar em Pontal do Ipiranga era de apenas 7 NTU (Unidades Nefelométricas de Turbidez) e, neste domingo (3), estava em 13. O índice chegou à marca de 130 NTU na manhã desta quarta-feira (6).

    O que indica que correntes marítimas e o vento predominantemente sul, levaram os rejeitos de minério do mar aberto para a costa.

    Leia também: Destinos econômicos para os feriados de 2016

    "Até que as condições de tempo levem esse rejeito para longe da costa, por precaução, a Prefeitura de Linhares indica que as praias estão temporariamente impróprias para banho, esportes aquáticos, pesca e demais atividades de contato primário com a água. Assim que forem constatados parâmetros aceitáveis de balneabilidade, a prefeitura informará a população", explicou o biólogo da Secretaria de Meio Ambiente, Luciano Cabral.

    publicidade

    Pontal do Ipiranga, Degredo e Barra Seca agora se juntam a Regência, Povoação e Comboios, interditadas desde a chegada da lama de rejeitos.

    Segundo a prefeitura, placas avisando da interdição começarão a ser instaladas na região ainda nesta quinta-feira (7).

     

Notícias de DiviCity

Tecnologia

Seções

Redação

Baladas

REDES SOCIAIS